Xiaomi apresenta novo Mi 11 Ultra e toma de assalto ranking DxOMark

0
126

A Xiaomi está claramente apostada em conquistar o mercado dos smartphone e ano após ano tem lançado smartphones de grande qualidade e novidades incríveis. Este ano, a sua gama Mi 11 vem para conquistar o mercado e se os modelos “nromais” são bons, os topos de gama apresentados agora vêm demonstrar que a fabricante não está para brincadeiras.

O novo Xiaomi 11 Ultra quer ser o melhor smartphone do mercado, com claro destaque para a área das câmaras e começou com o pé direito, já que um dos principais ranking de avaliação de câmaras, o DxOMark, colocou-o no primeiro lugar ultrapassando o anterior “dono”, o Huawei Mate 40 Pro.

Xiaomi Mi 11 Ultra

O enorme sensor Samsung GN2 faz sua estreia com o Mi 11 Ultra. Com 1 / 1,12 ”, é o maior sensor já usado num telefone do mercado e tem alguns dos maiores pixels que vimos nos últimos anos – 1,4 µm antes mesmo de alguém mencionar a palavra “binning ”. O GN2 de fato suporta binning 4-em-1 que torna o tamanho de pixel efetivo de 2,8 µm.

O sensor aproveita os benefícios da Estabilização Ótica de Imagem (OIS) e apresenta Dual Pixel Pro, que melhora a velocidade e a precisão do foco automático. Também há o Smart ISO Pro, que pode capturar fotos HDR em um instante.

As duas outras câmaras na parte traseira do Mi 11 Ultra não são menos impressionantes. A lente do periscópio oferece zoom óptico de 5x e híbrido de 10x. Melhor ainda, é emparelhado com um sensor de 48 MP (IMX586), que é bastante grande por si só – 1/2,0 ”, 0,8 µm pixels (1,4 µm após binning).

Para comparação, o Galaxy S21 Ultra tem um sensor de 10 MP 1/3,24 ”(1,22 µm) atrás de seu periscópio. Além disso, o telefone Xiaomi pode gravar 8K por meio de seu periscópio, o que parece ser outra inovação. Enfim, essa câmara também tem OIS, embora a lente esteja um pouco escura, com uma abertura de f/4.1.

A seguir vem a câmara ultra-wide, que tem uma lente de 128° e um sensor próprio de 48MP 1/2.0” (IMX586 novamente). A lente possui foco automático e pode tirar fotos macro. Como as outras duas câmaras na parte traseira, esta pode gravar vídeo de 8K. Além disso, todos os três têm suporte para o modo Noite.

A bateria é o outro recurso principal do Mi 11 Ultra. É um pouco maior do que a média para um telefone de carregamento super rápido, 5.000 mAh, e define um novo rankingcom suporte de carregamento sem fio de 67W. Isso corresponde ao carregamento com fio de 67 W, ambos podem carregar a bateria até 100% em apenas 36 minutos.

Para conseguir isso, a Xiaomi projetou uma tecnologia “6x supercharge” internamente, incluindo um chip personalizado que permite o carregamento sem fio a 30 V e uma tecnologia de controle de corrente multinível que acelera o carregamento em 10%. O telefone também suporta carregamento reverso de 10W.

Mas as especificações “comuns” também são interessantes. E por comum queremos dizer coisas como o ecrã AMOLED de 6,81” com resolução de 1440p+ e proteção Gorilla Glass Victus. Ele tem uma taxa de atualização de 120 Hz, mas não é adaptável, e taxa de amostragem de toque de 480 Hz.

É um ecrã excelente com um A+ da DisplayMate, obtida graças ao suporte HDR10+ e Dolby Vision. Além disso, é bem calibrado para o espaço de cores DCI-P3 e possui um modo de alto brilho para 900 nits de brilho (brilho máximo é 1.700 nits).

Outro recurso de destaque é o processador Qualcomm Snapdragon 888 – não esperaríamos menos para este topo de gama. A Xiaomi anexou um novo sistema de resfriamento trifásico e adicionou 12 GB de RAM LPDDR5 em conjunto com 256 GB de armazenamento UFS 3.1. O ISP triplo do chipset é usado para efeito total, permitindo que o Mi 11 Ultra fotografe com todas as três câmaras simultaneamente.

O telefone possui alto-falantes estéreo com o apoio da Harman Kardon. Além disso, possui uma certificação de áudio de alta resolução. Infelizmente, não há fone de ouvido de 3,5 mm. Há Bluetooth 5.2 a bordo para fones de ouvido sem fio, no entanto. A conectividade adicional inclui dual SIM 5G, Wi-Fi 6E, NFC e um sensor infravermelho.

Em termos de design, o smartphone é feito de cerâmica, disponível em Preto e Branco. É um material que a Xiaomi usa ocasionalmente para telefones especiais. O telefone é classificado como IP68, o que significa que é à prova de poeira e pode ser submerso a menos de 1,5 m (5 pés) de água por meia hora (a propósito, o Mi 11 Ultra e o Pro são os primeiros telefones com classificação IP68 da Xiaomi).

Outra coisa a se notar na parte de trás é um ecrã secudário. É um painel AMOLED de 1,1” (resolução de 126 x 294 px) com brilho máximo de 450 nits. Ele tem um modo sempre ligado e pode mostrar notificações, além de ser usado como um visor ao tirar selfies com o principal.

O Xiaomi Mi 11 Ultra estará disponível globalmente, sendo que na Europa, o modelo de 12/256 GB estará disponível em breve por € 1.199. é verdade que é um preço alto, mas quando comparado com o Samsung Galaxy S21 Ultra (por exemplo), percebemos que o smartphone encontra-se no preço dos smartphone UltraPremium.

Além das opções de cores Preto e Branco, a Xiaomi também vai lançar uma edição especial Marble Ceramic, que não deverá chegar à Europa.

Xiaomi 11 Pro

A frente é dominada por uma resolução QHD do ecrã AMOLED de 6,81 polegadas, uma taxa de atualização de 120 Hz e Dolby Vision. O painel é protegido pelo Gorilla Glass Victus da Corning e vem com um protetor de ecrã pré-aplicado. O Mi 11 Pro também possui alto-falantes estéreo duplos ajustados por Harman Kardon e um pequeno recorte perfurado para a câmara selfie de 20MP.

Por falar em câmaras, o Mi 11 Pro é o primeiro dispositivo a incluir o sensor de câmara GN2 de 50 MP da Samsung. O enorme módulo de 1/1,2” é o maior sensor colocado em um smartphone e possui pixels de 1,4 μm, Dual Pixel Pro AF, Stagger HDR e fusão ISO. Também poderá capturar vídeo de 8K direto da câmera principal.

Além disso, você obtém um módulo de periscópio com zoom ótico 5x (digital 50x) e OIS. Há também um snapper ultralargo de 13 MP.

Como esperado, o Mi 11 Pro utiliza o processador Snapdragon 888. A Xiaomi conta com um gerenciamento térmico melhorado com dissipação de calor, graças à sua grande câmara de vapor de 150 mm e dissipadores de calor de cobre que os acompanham.

Para alimentar o Mi 11 Pro, há uma bateria de 5.000 mAh, com uma tecnologia inovadora que possui maior densidade, melhor condutividade e carregamento mais rápido em um perfil mais fino. A mesma tecnologia de bateria está a ser usada em carros elétricos. Conte com carregamento com fio de 67 W e sem fio de 67 W, ambos levando apenas 36 minutos para um carregamento completo, tal como no Ultra.

No que toca ao software conte com o MIUI 12.5, baseado no Android 11. O telefone é certificado por IP68 e vem com um sensor infravermelho. As opções de cores incluem verde, preto e roxo.

O Mi 11 Pro em seu acabamento de 8/128 GB é vendido por CNY 4.999 (647€). Também está disponível na versão 8/256 GB por CNY 5.299 (687€), bem como um modelo de 12/256 GB por CNY 5.699 (738€). As vendas oficiais na China começam em 2 de abril, não havendo data para a Europa.

A Xiaomi está oferecendo duas opções de embalagem com uma caixa normal que também inclui o carregador de 67W e o cabo, bem como uma versão ecológica sem carregador e cabo na caixa. Ambas as opções de embalagem custam o mesmo, portanto, cabe ao comprador decidir qual versão é mais adequada.

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões

Quer saber outras novidades? Veja em baixo as nossas Sugestões