Walcyr Carrasco rebate críticas ao estilo de O Outro Lado do Paraíso: “É o folhetim em seu estado mais puro”

GPS da Fama

Walcyr Carrasco é autor de O Outro Lado do Paraíso. (Foto: Raphael Dias / Globo)
Walcyr Carrasco é autor de O Outro Lado do Paraíso. (Foto: Raphael Dias / Globo)

Nesta quinta-feira (15), O Outro Lado do Paraíso chegará ao seu centésimo capítulo na Globo, e já é considerado mais um sucesso de Walcyr Carrasco. Em entrevista ao site de entretenimento da emissora, o autor fez um balanço da atual trama das 21h.

Apesar do sucesso de audiência, a novela vem sendo alvo de alguns críticos, que rejeitam o texto considerado “superficial” e “pouco realista” em algumas situações, e principalmente em comparação à produções anteriores do horário, que já vinham moldando a percepção do público com tramas mais próximas à realidade.

Walcyr, no entanto, ressalta que O Outro Lado do Paraíso tem uma proposta baseada nos folhetins tradicionais, que foge do chamado “neorrealismo” que havia nas novelas anteriores da faixa. O autor ainda comemora o fato da maioria do público, segundo ele, ter entendido o conceito da trama.

+ Apresentador do SBT conta mentira, tenta vaga na RedeTV e é descoberto

“Quis fazer uma novela diferente, com um movimento e estilo que não se fazia havia muito tempo. É o folhetim em seu estado mais puro”, afirmou. “Fico feliz com essa resposta porque o público entendeu que busquei uma mudança estilística que foge do neorrealismo de outras novelas. Ao contrário de alguns críticos, que ficam procurando esse neorrealismo onde não há intenção. É um estilo diferenciado e um exercício para mim, como novelista”, completou.

O autor ainda revelou quais cenas da produção mais lhe marcaram até agora. “São tantas… Mas as cenas de Duda (Gloria Pires) com Natanael (Juca de Oliveira) no início, quando ele a chantageava; as cenas de Clara, principalmente quando foi lançada ao mar no caixão; as de Sophia (Marieta Severo), capaz de explodir em violência, assim como Gael (Sergio Guizé). A loucura de Lívia (Grazi Massafera), que foi fundo na rebeldia, sem perder uma certa fragilidade. A ternura de Patrick (Thiago Fragoso), a dubiedade de Renato (Rafael Cardoso)… E sempre será inesquecível a grande cena de Mercedes (Fernanda Montenegro) enfrentando a Morte”, disse.

Walcyr Carrasco rebate críticas ao estilo de O Outro Lado do Paraíso: “É o folhetim em seu estado mais puro”