Volta as aulas | Secretário de Educação detalha diretrizes para retorno às aulas na Paraíba

0
28

O secretário de Estado da Educação, Cláudio Furtado, afirmou que os protocolos para o retorno das atividades na Rede estadual já estão em estudo. “Começamos a falar das diretrizes, mas isso só vai acontecer a partir do momento que as autoridades de saúde digam que tem segurança para a rede voltar”, explicou em entrevista ao programa Tribuna Livre da TV Arapuan, nesta quarta-feira (08).

Furtado alegou que quando se fala em diretrizes, a população já começa a pensar em datas, mas que ainda não há um prazo. O secretário acredita que o retorno completo das atividades só vai acontecer quando houver uma vacina.

De acordo com Furtado, o plano está sendo discutido com vários setores da sociedade, sindicato dos professores, Ministério Público, Tribunal de Contas, entre outros. “Os protocolos são estabelecidos pelo Conselho Nacional de Secretários de Educação, com todas as condições, utilização de máscaras, acesso dentro das escolas demarcado, quantidade de alunos reduzida para manter o distanciamento”, disse, explicando que o sistema será híbrido com um grupo tendo aulas presenciais por três dias e outro grupo, os outros três, com aulas inclusive aos sábados, os que não estiverem em aulas presenciais vão acompanhar de casa.

A plataforma Paraíba Educa, segundo o secretário, não vai utilizar os dados do telefone do usuário, possibilitando a inclusão digital de uma série de estudantes que têm dificuldade de pagar um pacote de dados. Ele também destacou que serão obedecidos protocolos na questão de alimentação e entrada de alunos, como medição de temperatura do aluno ao chegar na escola e controle de biossegurança para que possam acontecer as aulas, além de política de educação para que o aluno leve a sua própria garrafa de água evitando, assim, a utilização de bebedouros. Furtado também destacou que será feita a limpeza e desinfecção periódica do ambiente escolar.

Reprovação

O secretário explicou que a função primordial da escola e manter o aluno na escola, que já tem taxas de evasão normalmente, e o papel é fazer com que o aluno permaneça. O ensino remoto, os exames e testes para garantir que o aluno seja bem recebido, são algumas medidas. “Temos que pensar em manter o aluno e pensar num ciclo escolas 2020-2021. Muito vai ser feito agora, mas tem coisas que serão desenvolvidas durante o ano letivo de 2021 como o reforço em determinadas áreas”, disse.