URGENTE: Caminhoneiros começam a marcar a nova greve em grupos do WhatsApp

Independente de motoristas de caminhão estão começando a se organizar nova paralisação da categoria contra o desrespeito com o piso mínimo de transporte.

A greve iria acontecer no dia 22 de janeiro, dois dias após a reunião que deve ocorrer na Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para discutir a adaptação da tabela de frete.

Para encerrar a greve de motoristas de caminhão em maio, o governo Michel Temer concordou com uma série de requisitos, tais como a criação da tabela com preços mínimos de mercadorias e de uma redução no preço do diesel.

O problema, de acordo com os líderes da categoria, é que a maioria das empresas de quebra de mesa e não sofrer qualquer punição, por falta de fiscalização da ANTT. “Muito poucas as empresas a pagarem o piso mínimo, talvez cerca de 2%.O resto permanece o mesmo, pagar o que você quiser”, diz Ivar Luiz Schmidt, um porta-voz do Comando Nacional dos Transportes.

Agora, os caminhoneiros querem a ANTT condição para a emissão do código identificador da operação de transporte (Ciot) de acordo com a tabela do piso mínimo de transporte. Sem esse código, o caminhão não pode transportar a carga.

De acordo com ele, a data de 22 de janeiro foi escolhido por ser o tempo necessário para discutir o piso mínimo do frete, que será o assunto de uma reunião no dia 20. “Se nada for feito até o dia 22, que vai ter que parar.”

O caminhoneiro diz que o aviso de greve está sendo divulgado em grupos do WhatsApp com o grande apoio dos caminhoneiros. “Não podemos sustentar nossas famílias, para que ele tenha tanto caminhão velho, sem correndo.” concluído

Com informações Veja

VEJA TAMBÉM: