UFRJ poderá fechar as portas após corte de verbas do governo federal, diz reitora da instituição

Foto: UFRJ/Reprodução

A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) corre o risco de fechar as portas a partir de setembro.

Aulas presenciais, estudos relacionados a varíola do macaco e Covid-19, além do funcionamento de unidades de saúde, podem ser interrompidos como consequências do corte de verbas anunciado pelo governo federal para as instituições de ensino superior de todo país.

Durante coletiva de imprensa nesta quarta-feira (15), a reitora da instituição, Denise Pires de Carvalho, afirmou que a universidade não terá como pagar as contas de água e luz, além de manter serviços de limpeza e segurança a partir de setembro.

“Os cortes são muito graves. O que foi feito coloca em risco o futuro das próximas gerações. Essas ações vão ter impacto para nossos filhos e netos”, disse a reitora.

“Dentro de dois meses não teremos como pagar as contas de água e luz. Isso afeta diretamente o funcionamento dos nossos laboratórios, por exemplo. (…) Quando a Light vai apagar a nossa luz? Não sei. Mas o dia que a Light apagar a nossa luz, a universidade fecha. Não porque seja um desejo nosso, mas sim um desejo de quem tá cortando o orçamento dessas instituições”, completou Denise.