Tubarão ignora desprezo de rivais e valoriza conquista nacional

Há 37 anos o Londrina não erguia uma taça de expressão nacional. Esse jejum acabou na noite dessa quarta-feira, com uma grande festa no estádio do Café. Depois de um empate por 0 a 0 com o Atlético-MG, o Tubarão foi melhor nos pênaltis e se sagrou campeão da segunda edição da Primeira Liga, competição desprezada por muitas equipes grandes, mas que tem um valor diferente para os paranaenses.

?Tivemos muito próximo (do título) na Série C, mas fugiu pelos dedos, jogamos contra um grande clube, o Atlético-MG, fizemos uma grande partida, a gente mereceu pela campanha, fomos um dos poucos times que se comprometeu muito com a Primeira Liga, que é uma grande oportunidade para os pequenos?, destacou o técnico Cláudio Tencati, que chegou em abril de 2011, levou o clube da Série D até a Série B, onde atualmente ocupa a nona colocação e também comandou o grupo no título Estadual de 2014, findando assim outro jejum, este de 22 anos à época.

A festa do torcida do Londrina no estádio do Café teve até invasão de campo (Foto: Divulgação/LEC)

?A gente fica (emocionado), porque não é sempre. Eu falei pra eles, antes do título de 2014, a gente não era campeão paranaense há 22 anos. Já passaram três anos e não conseguimos mais. É difícil, tem que valorizar?, discursou Tencati, ao Sportv, segurando as lágrimas.

Edson Silva, zagueiro que já defendeu grandes clubes, como o São Paulo, foi outro a valorizar a conquista, independente da prioridade que a Primeira Liga tem para os outros participantes da competição.

?Momento especial, importante, sempre bom ganhar um título, para muitos pode ser um título qualquer, sem importância, mas para nós é muito importante, fizemos uma boa campanha, invictos, graças a Deus deu tudo certo, agora é comemorar com a nossas famílias e com o torcedor?, comentou o defensor.

Herói da final depois de defender as cobranças de pênaltis de Clayton e Rafael Moura, César parecia atordoado em campo. ?Minha ficha não caiu ainda. Agradecer a Deus, eu só fui um instrumento a ser usado?, disse o goleiro, que há pouco tempo era apenas a terceira opção para a posição.

Durante a festa, muitos torcedores invadiram o campo e comemoraram junto aos ídolos. Bandeiras de mastro foram carregadas pelos atletas e muita tietagem rolou antes mesmo da taça ser erguida. Um dos mais empolgados em meio a tudo isso era o jovem atacante Arthur.

?Meu primeiro título como profissional, tão esperado, não tenho palavras, só agradecer a Deus, espero manter esse bom ano e, se Deus quiser, mais títulos pela frente?, disse, antes de sair correndo para seguir festejando, assim como o companheiro Negueba.

?Era um título de expressão para o Londrina, sabíamos da importância, estou bastante feliz, não tive sucesso no Atlético-GO, nem na Ponte Preta, e chegar aqui e ser campeão, e jogando, é muito importante para mim?, comentou o titular.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *