A Paraíba realizou seis transplantes de coração em 2023. O total, somado de janeiro a agosto, é o dobro da quantidade de procedimentos feitos no ano passado no estado. O dado foi informado ao portal pela Central de Transplantes. Neste ano, foram contabilizadas sete doações, sendo uma delas encaminhada para Pernambuco.

Na Paraíba, cirurgias de transplante de coração são realizadas nos hospitais Metropolitano e Nossa Senhora das Neves.

Atualmente, quatro pacientes aguardam por um transplante de coração na Paraíba. Em busca do mesmo procedimento, o apresentador Fausto Silva, 73 anos, também está na fila de espera única gerenciada pelo Sistema único de Saúde (SUS).

Em 2023, a Paraíba já realizou 160 transplantes, somando os procedimentos de córneas, coração, rim, fígado e medula óssea. Apesar disso, 471 paraibanos ainda aguardam na fila à espera de um transplante.

Como funciona a fila

De acordo com a Associação Brasileira de Transplante de Órgãos, para entrar na lista de espera de transplante, o paciente precisa ser cadastrado pelo médico. Os pacientes são separados de acordo com as necessidades e conforme o órgão que necessita, tipos sanguíneos e outras especificações.

Esse sistema de lista única tem ordem cronológica de inscrição, ou seja, por ordem de chegada. Os receptores são selecionados em função da gravidade ou compatibilidade sanguínea e genética com o doador. No entanto, segundo a Associação Brasileira de Transplante de Órgãos, a distribuição também considera outros critérios além do tempo na fila.

Na fila, crianças têm prioridade quando o doador é criança ou quando estão concorrendo com adultos.

Com Portal T5