TJDF abre inquérito após brigas no Amigão e ameaça vetar torcida do Campinense

O Tribunal de Justiça Desportiva de Futebol da Paraíba (TJDF) abriu um inquérito, nesta quinta-feira (17), para investigar os casos de vandalismo e violência no Amigão, em Campina Grande. O processo leva em consideração o arrombamento de um dos portões do Estádio durante a partida entre Treze e Campinense.

Segundo o parecer, torcedores com camisas do Campinense adentraram “de maneira ilícita” e entraram em conflito físico com policiais. “Vários torcedores desferiram vários chutes em um dos portões do Estádio, forçando ilicitamente a entrada de inúmeros torcedores que também portavam camisas do Campinense Clube”, diz o documento.

“É possível notar que diversos torcedores ingressaram de maneira ilícita no estádio com a partida em andamento, eximindo-se inclusive de serem submetidos a revista policial para averiguação se estavam portando materiais ilícitos ou criminosos (inclusive armas), e ainda parte deles entrou em confronto com a Polícia Militar, colocando em risco a vida dos policiais que ali estavam em serviço, bem como dos demais torcedores que ingressaram de maneira regular com seus amigos e familiares no Estádio”, prossegue o despacho.

O presidente do TJDF, Raoni Lacerda Vita, determinou que o Campinense seja intimado para prestar esclarecimentos e, caso deseje, identifique os autores do ocorrido. Raoni também que, caso os autores não sejam identificados os envolvidos, determinou que a próxima partida em que o clube for o mandante no Campeonato Paraibano, ou seja, no dia 25 contra o Sport Clube, seja realizado com portões fechados, sem a presença de torcida. O inquérito deve ser concluído em até 15 dias.

Fonte: MaisPB

Foto: Reprodução