Battlefield V: Criador reage a ataques sexistas acerca do jogo durante E3

A E3 2018 começou no passado dia 9 de junho pelas 19 horas (de Portugal Continental) com a conferência da Electronic Arts, onde foram reveladas mais imagens de Battlefield V a mais recente criação da DICE. Este novo título da franquia tem sido alvo críticas relativamente a problemas de autenticidade e factualidade histórica desde a sua apresentação a 23 de maio de 2018.

Apesar de o jogo ter sido apresentado numa emissão em direto na plataforma Youtube, a fabricante de jogos californiana, apresentou mais alguns detalhes do seu novo jogo, que prometem mais atividade, com destaque para o modo multi-jogador e o mais recente anúncio das Grand Operations (no mesmo estilo das atuais Operations em BF1) na Electronic Entertainment Expo 2018.

Durante os últimos dias, muitas têm sido as críticas por parte dos fãs da DICE relativamente ao mais recente título da franquia. A maioria das críticas tratam-se de alegações de inconsistências históricas, tais como ambientações fora de contexto, a inclusão de personagens femininos na frente do campo de batalha, o uso de próteses em combate e de pinturas faciais.

Críticas

A rede social Twitter tem sido o palco habitual das manifestações de descontentamento por parte de jogadores que, através de algum humor, tentam despoletar alguma reação nas equipas de desenvolvimento.

A crítica mais evidente na maioria das publicações na rede social, é o facto de haver presença feminina no campo de batalha, num tempo em que supostamente, de acordo com os muitos utilizadores que se dizem entendidos, não haviam mulheres a combater. Hashtags como #NotMyBattlefield e #Boycott têm sido usadas no sentido de promover uma maior coesão na partilha de opiniões dentro do Twitter.

imagem14-06-2018-14-06-43 imagem14-06-2018-14-06-44

Apesar de todo este descontentamento por parte dos jogadores e fãs da franquia Battlefield, os criadores do jogo afirmam não estarem preocupados com a controvérsia gerada. Segundo a equipa, este jogo foi pensado para todos aqueles jogadores que gostando de algum realismo, pudessem também ter maior diversidade e opções de jogo.

A opção da equipa em permitir uma maior personalização da personagem, fez com que seja possível personalizar desde ao capacete da personagem, ao género e às pinturas faciais de guerra.

Opinião

Oskar Gabrielson, um dos criadores de Battlefield V, foi confrontado por jogadores na E3 relativamente à opção de colocar uma mulher na capa de jogo, bem como de a colocar na linha da frente do campo de batalha. Contudo, para o criador, foram comentários sexistas. Oskar Gabrielson em resposta a estes comentários, revela a Cody Godwin, repórter da BBC, que o Battlefield V é amplamente baseado na Segunda Guerra Mundial, no entanto, que tem como objetivo contar histórias não contadas oficialmente.

Comment of Oskar Gabrielson about Battlefield V

Antes mesmo da E3, Oskar Gabrielson já havia comentado o tema na rede social Twitter, dada a controvérsia que gerou após a apresentação do jogo no dia 23 de maio. O criador de conteúdos do mais recente título, colocou ainda no final do seu discurso a hashtag #everyonesbattlefield no sentido de contrair a hashtag #NotMyBattlefield criada pelos fãs descontentes. Para terminar, o criador coloca uma imagem GIF que mostra aquilo que parece um pequeno bug que permitiu que flame troopers estivessem montados num cavalo a galope.

Confira também outros artigos relacionados:

  • Battlefield V: Mulheres nas trincheiras da 2ª Guerra Mundial?

Fonte: BBC News

Veja também…