SMS participa da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar em instituições da Capital

0
135

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de João Pessoa está participando da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (Pense), que investiga informações para conhecer e dimensionar os fatores de risco e proteção à saúde dos adolescentes de 13 até 17 anos. Na Capital, foram selecionadas 93 escolas, sendo 47 instituições da rede privada e 46 da rede pública de educação.

O estudo é uma parceria do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Ministério da Saúde (MS), Ministério da Educação e Cultura (MEC) e secretarias estaduais e municipais de Saúde. As visitas às escolas começaram no último dia 15 de abril e seguem até o mês de junho.

A análise aborda temas como contexto social e familiar dos estudantes, seus hábitos alimentares, prática de atividade física, percepção da imagem corporal, cuidados de higiene pessoal, experimentação e consumo de cigarro, álcool e outras drogas, comportamento sexual e reprodutivo, uso dos serviços de saúde, violência, segurança e acidentes.

Responderão à pesquisa, estudantes do 7º ao 9º ano do Ensino Fundamental e do 1º ao 3º ano do Ensino Médio. Para responder as questões, o estudante receberá um equipamento de mão semelhante a um smartphone, no qual será inserido o questionário. O responsável pela escola selecionada também responderá um questionário com informações sobre o ambiente escolar.

De acordo com Niviane Ribeiro, técnica de Doenças e Agravos Não-Transmissíveis da SMS, as gestões municipais deverão desenvolver políticas voltadas à população adolescente em conformidade com os resultados da pesquisa. “Como os estudantes não precisarão se identificar no momento de responder os questionários, eles estarão mais abertos a darem respostas reais e será possível avaliar melhor como está a situação desses escolares”, afirmou.

A pesquisa é realizada por amostragem e utiliza como referência para seleção o cadastro das escolas públicas e privadas do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), seguindo as orientações da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) e do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que são responsáveis pela preservação da integridade e dignidade dos adolescentes. Todas as informações prestadas à pesquisa são confidenciais.