Serviço de Atenção Domiciliar de João Pessoa realiza cerca de mil visitas ao mês

0
95

As equipes do Serviço de Atenção Domiciliar (SAD) da Secretaria de Saúde de João Pessoa realizam, mensalmente, uma média de mil visitas aos pacientes restritos ao leito. Desde janeiro deste ano, o serviço foi ampliado, passando a funcionar todos os dias, inclusive aos sábados, domingos e feriados, para melhor atender aos usuários, que antes só eram visitados durante a semana.

O SAD integra o Programa Melhor em Casa, do Ministério da Saúde, e tem a finalidade de trabalhar a desospitalização, diminuindo o tempo de permanência nos hospitais e nas unidades de pronto atendimento, por meio de um cuidado integral e humanizado no ambiente domiciliar. Ou seja, atende pacientes que podem receber alta do hospital, porém necessitam da continuidade dos cuidados em casa.

Você já imaginou acertar 14 pontos com apenas 14 JOGOS na Lotofácil ?

Uma plataforma completa com inteligência artificial Que te GARANTE 14 e até 15 Pontos com apenas 14 Bilhetes.
Hoje você poderá se tornar um apostador PROFISSIONAL!

COMPRAR AGORA

ESTA OFERTA PODE SAIR DO AR A QUALQUER MOMENTO, APROVEITE!

Atualmente, o serviço possui cerca de 300 pacientes admitidos e um deles é dona Severina Rodrigues, de 85 anos. Ela passou a ser atendida pelo SAD após receber alta de uma unidade de pronto atendimento (UPA) da Capital e precisar de acompanhamento médico em sua residência por conta de escaras, que são feridas na pele comuns em pessoas acamadas por permaneceram muito tempo na mesma posição. A idosa foi diagnosticada com mal de Alzheimer há 15 anos.

“Há três meses que ela é atendida pelo SAD e tem sido um alívio muito grande pra mim, porque não precisamos levá-la ao hospital já que a equipe faz a visita semanalmente e me orienta em relação a todos os cuidados”, contou Fabiana Rodrigues, filha e cuidadora de dona Severina.

Nas visitas, os pacientes são atendidos de acordo com suas necessidades. No caso de dona Severina, o acompanhamento é realizado por uma médica, enfermeira, técnica em enfermagem e nutricionista. “Todos são muito pontuais com as visitas e muito atenciosos com ela. Só tenho a agradecer”, afirmou Fabiana.

“É uma satisfação fazer parte da equipe do SAD, pois podemos conhecer de perto a realidade do paciente e contribuir com sua reabilitação. Em cada visita, buscamos oferecer a melhor assistência possível, pois preconizamos a qualidade do atendimento”, destacou Paulianne do Bú, médica que acompanha dona Severina.

Serviço – Para prestar assistência a seus usuários, o SAD conta com aproximadamente 80 profissionais, distribuídos em sete equipes multiprofissionais de atenção domiciliar (médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem e fisioterapeutas) e três equipes multiprofissionais de apoio (nutricionistas, fonoaudiólogos, assistentes sociais, psicólogos e farmacêuticos).

De acordo com a gerente do SAD, Gilanne Ferreira, para ter acesso ao serviço os pacientes devem ser encaminhados, principalmente, pela rede hospitalar. “A origem principal deve ser das UPAs ou dos hospitais, com o objetivo de promover uma maior desospitalização. Ou seja, atendemos pessoas que, estando em estabilidade clínica, necessitam de atenção à saúde em situação de restrição ao leito de maneira temporária ou definitiva, tendo em vista a ampliação da autonomia do usuário, da família e do cuidador”, destacou Gilanne.

Em casos de pacientes acamados ou com dificuldade de locomoção, mas que não estão no perfil de desospitalização, a assistência será prestada pela equipe de sua unidade de saúde da família de referência. Covid-19 – Neste período de pandemia do coronavírus, o SAD segue todos os protocolos para o atendimento dos pacientes acamados diagnosticados com Covid-19 e aqueles que ficaram com sequelas. “A equipe vai paramentada, com máscara, face shield e realiza toda a higienização entre uma visita e outra. Também fazemos telemonitoramento, por telefone e videochamada, para avaliar o paciente e realizar orientações gerais”, explicou a coordenadora do serviço.