Senadores cobram Bolsonaro após fim do auxílio emergencial

0
96

Nesta última terça-feira, 5, os senadores reagiram ao comentário do presidente da República, Jair Bolsonaro de que o Brasil está “quebrado” e , por isso, não consegue “fazer nada”. Com o fim do auxílio emergencial e indicativos de uma segunda onda da covid-19, os parlamentares chegaram a pedir a renúncia do presidente nas redes sociais.

A fala de Bolsonaro foi dada na porta do Palácio da Alvorada a correligionários. Na ocasião, o presidente também criticou a imprensa. Foi o seu primeiro pronunciamento público ao voltar das férias. O que gerou críticas negativas foi a  seguinte fala: ” O país está quebrado, e eu não consigo fazer nada”.

O chefe do executivo também acrescentou, “Eu queria mexer na tabela do Imposto de Renda [mas] esse vírus, potencializado pela mídia que nós temos, essa mídia sem caráter, num trabalho incessante de tentar desgastar [o governo], para retirar a gente daqui, [e fazer] voltar alguém que atenda a interesses escusos.”

Reação dos senadores

Como resultado a fala de Bolsonaro, o senador Fabiano Contarato (Rede-ES) escreveu que “O Brasil não está quebrado: está sem governo, maltratado pela inépcia presidencial e por uma  política econômica e de saúde desgovernada. Não dá conta do desafio? Renuncie e liberte o país desse infortúnio!”

Já o senador Humberto Costa (PT-PE) apoiou a crítica e ainda acrescentou que o país precisa de “experiência” no Poder Executivo. “Se o presidente não consegue fazer nada, ele e seu vice precisam renunciar e entregar a salvação do Brasil a quem sabe fazer”, declarou.

Para Cid Gomes (PDT-CE), a declaração de Bolsonaro se deve ao fato de que o presidente “não tem projeto, não tem proposta, nem experiência”. “O Brasil de joelhos, e o presidente de férias na praia”, escreveu.

Já Jorge Kajuru (Cidadania-GO) recomendou que o presidente pense mais nos seus eleitores. “Presidente Bolsonaro, sobre a mídia, o senhor tem toda a razão, mas ela não é unanimidade. Portanto, pense no povo que lhe escolheu e não aceita desculpas oportunistas”, observou.

Jean Paul Prates (PT-RN) observou que Bolsonaro entra para a história como o único presidente de um país que, voluntariamente, atrai a desconfiança dos investidores. De acordo com o senador, é necessário alertar para o fato de que, apesar do presidente e da pandemia, o país não quebrou. Outros senadores também fizeram críticas ao comentário do presidente.

Veja também: Confira 3 formas de antecipar o auxílio emergencial e FGTS no Caixa Tem em 2021