Semam dá continuidade à retirada de plantas invasoras na orla de João Pessoa

0
92

Nesta quarta-feira (24), os técnicos da Secretaria de Meio ambiente (Semam) da Prefeitura de João Pessoa acompanharam a retirada de plantas invasoras na vegetação fixadora de dunas, na Praia do Cabo Branco. A vegetação que cobre a areia da praia, chamada de vegetação de restinga, tem a função de fixar areia e dunas, impedindo a erosão das praias e abriga diversas espécies de animais, como aves migratórias. As restingas são ecossistemas considerados Área de Preservação Permanente (APP), protegidos por Lei Federal (Código Florestal – Lei 4771/65 – Lei 4771, de 15 de setembro de 1995).

Os técnicos da Semam acompanharam a limpeza da vegetação na Praia do Cabo Branco, onde foi feita a retirada de castanholas de até sete metros de altura, que se reproduzem de forma descontrolada, interferindo no desenvolvimento da vegetação fixadora de dunas, as com altura superior foram podadas e mantidas. As castanholas são consideradas espécies invasoras e, no caso da vegetação fixadora de duna, elas provocam graves danos fisiológicos. O sombreamento provocado pelas castanholas na vegetação rasteira impede a reprodução das plantas, que morrem, deixando as dunas desprotegidas.

O diretor de Controle Ambiental da Semam, engenheiro agrônomo Anderson Fontes, lembrou que João Pessoa é uma das poucas praias urbanas que possuem vegetação fixadora de dunas. “Elas são extremamente importantes para o ecossistema de nossas praias, fixando a areia e as dunas, evitando, nos dias de ressaca do mar, que a areia se espalhe. E são fundamentais também para abrigar os animais que dependem dessa vegetação para sua sobrevivência”, concluiu.