Se Taina: o jovem e a filha voltar para o São Paulo depois de um mês de casamento: ‘Aliviado’, diz marido

Mãe e filha, que estavam longe da família por mais de um mês, voltou para o interior de são paulo, na noite de terça-feira (11). O caso está a ser investigado como uma subtração de incapaz; suspeita de seqüestro foi a correr para a burla e é preso.

Taina Queiroz ao lado do marido, Raul Kennedy da Silva, e da filha de 8 meses. A jovem de 18 anos e bebê estavam sumidas desde 3 de novembro — Foto: Reprodução/Facebook

O jovem Taina Queiroz, de 18 anos, e a filha de oito meses, retornou ao Pilar do Sul (SP), na noite de terça-feira (11) depois de um mês longe da família. A informação foi confirmada ao G1pelo marido Taina, Raul Kennedy da Silva.

Taina e a filha desapareceu no dia 3 de novembro. O marido suspeita de que eles foram sequestrados pelo ex-chefe de seu, Luis Fernando Lourenço. Os dois foram localizados no dia 1º de dezembro, depois de uma queixa à polícia do estado do Maranhão e a prisão de Luis, um fugitivo da Justiça por estelionato.

Depois de ele ser levado para a prisão, o Conselho Tutelar decidiu recolher a criança e deixá-la aos cuidados com o corpo, porque de investigação policial da subtração de incapaz.

Na quarta-feira (4), o advogado Raul apresentou um pedido para o tribunal, para o pai, para remover a criança do abrigo, e que só ele tinha a guarda dela. O pedido de liminar foi negado.

De acordo com Raul, a filha e Taina foram levados para o interior de SP pelo Conselho Tutelar de São Luís. Para ele, é um alívio ter a filha de volta.

“O reencontro foi emocionante. Estou muito aliviada e toda a família também. Sofia e Taina estão bem, isso é o que importa”, diz ele.

Sobre o que Taina afirmou, em relação ao que pode ter ocorrido, e se ele vai ser em casa, o marido se recusou a comentar.

“Eu prefiro não comentar agora. Eu não quero resolver isso e, sim, para curtir minha filha. Eu sei que Taina só vai falar para todos, mais tarde, testificar,” ele disse.

De acordo com o delegado da delegacia de Investigações Gerais (DIG), Acácio Leite, o jovem vai prestar depoimento à Polícia Civil para a conclusão da investigação. No entanto, ela precisa estar presente na delegacia de polícia.

“Ainda não temos uma posição sobre o que realmente aconteceu. Assim que eu ouvi-lo, podemos entender e que, oficialmente, se ela fugiu ou foi uma ameaça. Mas ela precisa apresentar, pois é considerado falta. E vamos continuar com a mesma linha de pesquisa que este não foi um sequestro, porque não há pedido de resgate, e não evidência de uma falsa prisão”, diz ele.

Taina de Queiroz Mendes desapareceu com a filha de oito meses — Foto: Reprodução

Entenda o caso

  • Raul Kennedy da Silva, a mulher, Taina Queiroz, e a filha de 8 meses morando em Pilar do Sul (SP). Ele viajou a trabalho e quando ele retornou, não encontrou Taina e o bebê em casa.
  • No dia 3 de novembro, Silva apresentou um relatório da polícia e disse que recebeu mensagens do seu ex-chefe, Luis Fernando Lourenço, dizendo que Taina foi com ele de bom grado, e que ela e o bebê estavam bem.
  • A polícia abriu uma investigação sobre o caso. Como não houve pedido de resgate, o caso foi registrado inicialmente como um desaparecimento.
  • A família de Taina recebeu vídeos da jovem, em que ela apareceu ao lado do filho e disse que para ser feliz. Os parentes viram sinais de nervosismo e ameaça nos vídeos.
  • Em 28 de novembro, a polícia tem originado a partir do BO e passou a investigar o caso como uma subtração de incapaz.
  • Lawrence era procurado pela polícia por furto, há cerca de um ano e foi preso no sábado (1º), em São Luís (MA).
  • Taina e a filha virou-se para um Pilar do Sul em 11 de dezembro. Dias antes, o recurso do G1 recebeu um vídeo em que ela acusa o marido de traição e espancá-la.

Prisão

Luis Fernando Lourenço já tem passagens na polícia por estelionato — Foto: Arquivo Pessoal

Luis Fernando Lourenco já tem passagens na polícia por furto — Foto: Arquivo Pessoal

De acordo com o delegado Acácio Leite, Luis Fernando Lourenço foi preso durante as primeiras horas da manhã de 1º de dezembro, após a denúncia feita à Polícia Militar.

De acordo com o Departamento de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA), a prisão ocorreu logo depois que ele foi reconhecido, enquanto ele estava a comprar comida perto da pousada na Praia do Calhau, em São Luís, onde ele estava hospedado com a Taina e a criança. Luis foi levado para a penitenciária de pedrinhas.

Luis Fernando era um fugitivo da Justiça por cerca de um ano, de acordo com a Polícia Civil. Ele foi preso em 22 de outubro de 2013, através do artigo 158, que é a de constranger alguém mediante violência. Mas, de acordo com o national, foi lançado no dia 23 de outubro.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), Luis foi condenado por extorsão sentença, a prestação de serviços à comunidade, mas não cumpriu com a determinação. Então, foi como um fugitivo.

Luis também é procurado pela Polícia de Investigações Gerais (DIG) de Jundiaí (SP) se você passar por um repórter em um supermercado na cidade, em abril de 2017, para forjar uma queixa, e extorquir o comércio.

De acordo com a investigação, Luis Fernando Lourenco foi até o estabelecimento na noite de 1º de abril do ano passado, tem adulterado a validade de um pedaço de carne e alegou para o gerente que ele era um jornalista.

Câmera de segurança gravou Luis dentro do mercado em Jundiaí, em 2017  — Foto: Arquivo pessoal

Desaparecimento

O desaparecimento de mãe e filha, foi registrado no dia 3 de novembro. O marido da jovem conta que ele viajou a trabalho para Castilho (SP) e, quando voltou para casa, encontrou mais dois.

“Eu cheguei e não estavam em casa. Fizemos pesquisas, mas nada. Não atendeu o telefone, e ninguém sabia deles. Eu estava desesperado. Foi então que o meu ex-chefe enviou uma mensagem dizendo que ele estava com os dois e que eles estavam felizes. Mas ela não deixou. Nós estávamos tão bem e eu tenho certeza que ele raptou”, disse ele na época para o G1.

Taina Queiroz ao lado da filha de 8 meses — Foto: Arquivo Pessoal/Raul Kennedy da Silva

Taina Queiroz para o lado da filha de 8 meses — Photo: Arquivo Pessoal/Raul Kennedy da Silva

Raul ainda disse que conheceu o ex-chefe Luis Fernando Lourenço de quatro meses atrás, em Sorocaba (SP). Ele se apresentou como cantor e empresário, e ofereceu emprego para o rapaz, a entregar ao ar livre em cidades do interior de São Paulo.

A delegacia de Investigações Gerais (DIG) no Interior do aberto inquérito policial para investigar o caso de o casamento dos dois.

No entanto, no dia 28 de novembro, o delegado Acácio Leite, informou que ele tratou o caso de seqüestro para subtração de incapaz depois de vídeos enviados pelo suspeito para mostrar que Taina estava bem e que ele estaria com ele por vontade própria.

De acordo com Raul, os vídeos foram referidas por Luis Fernando para ele e familiares logo após o desaparecimento de sua esposa e filha.

Fonte: g1.globo.com

Deixe uma resposta