Saiba como garantir o saque integral do FGTS em 2021

0
126

Com a crise econômica provocada pela pandemia, muitos trabalhadores viram sua renda diminuir significativamente. Assim, muitos tem recorrido à Justiça para conseguir o saque integral do valor disponível nas contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), conforme previsto por lei.

Isso porque uma das situações que permitem o saque do FGTS é a de o trabalhador ou desempregado residir em uma área que esteja em situação de emergência ou estado de calamidade pública. Embora o governo não tenha prorrogado o decreto, que deixou de vigorar em 31 de dezembro, muitos estados mantiveram o estado de calamidade pública, o que dá direito ao saque.

Vale ressaltar que esta modalidade de saque é diferente do saque emergencial, que permitiu a retirada de até R$ 1.045 por trabalhador, ou do saque aniversário, que garante o saque de uma parcela do saldo disponível anualmente, sempre no mês de aniversário do trabalhador. Também não é preciso que a pessoa tenha sido demitida com ou sem justa causa (saque rescisão).

Como solicitar o saque integral?

Para solicitar o saque integral do FGTS com base no estado de calamidade pública em função da pandemia, é necessário entrar com uma ação na Justiça e entregar provas documentais que comprovem a existência de contas em atraso, e consequentemente, a necessidade do saque. Desta forma, podem ser utilizados como documentos comprobatórios durante o processo:

  • Boleto de condomínio e carta de cobrança;
  • Boleto de plano de saúde;
  • Comprovantes de contas de consumo (água, energia, gás, provedor de internet e outros);
  • Contrato de locação e carta de cobrança;
  • Extrato bancário para demonstrar o saldo negativo em conta;
  • Holerite com redução de salário durante a pandemia, se for o caso;
  • Mensalidade escolar;
  • Notas de compras de alimentação e medicamentos, entre outros.

Leia também: Governo pretende autorizar novo saque emergencial do FGTS para todos os trabalhadores