Saiba como começar a investir com R$ 500 por mês. Veja opções de acordo com seu perfil

0
73

Com a taxa básica da economia, Selic em apenas 2%, muita gente tem dúvida sobre em quais investimentos deixar o dinheiro para que ele renda mais. Importante destacar que isso depende das metas de cada pessoa e também se ela já fez a reserva de emergência para cobrir pelo menos seis meses dos seus gastos. O valor pode ser usado em casos de demissão, doença repentina, acidente, entre outros imprevistos.

De acordo com matéria do e-investidor, o melhor é que a pessoa tenha uma carteira diversificada com produtos que dependem do seu perfil. Ou seja, se é mais tolerante a riscos ou se não gosta muito de arriscar seu dinheiro e sim contar com lucros garantidos. Geralmente, as corretoras classificam as pessoas em ao menos três perfis de investidor, são eles:

  • Conservador  – menos risco
  • Moderado – risco intermediário
  • Arrojado ou agressivo – mais risco

Se você conta com R$ 500, já é possível começara  investir em diversas aplicações, veja baixo, alguns deles indicados para esse momento de pandemia de Covid-19.

Investidor iniciante ou conservador

Apesar de ter sua atratividade bastante impactada pelo baixo patamar da Selic, a renda fixa oferece maior segurança do que investimentos da renda variável. Um perfil conservador que deseje investir pode colocar 40% nos títulos do Tesouro Selic (títulos públicos), 40% em CDBs (crédito privado) e 20% em ações.

Também pode aplicar em títulos públicos de renda fixa e o máximo de risco para esse caso seria o crédito privado, fundos ou emissões, como CRI, CRA, debêntures. Porém, vale destacar que esses títulos geralmente oferecem liquidez apenas no resgate.

Investidor moderado e avançado

Já o perfil moderado, além do Tesouro Selic, pode colocar uma parte do dinheiro  (entre 10% e 15% do patrimônio) em títulos do Tesouro IPCA +, que podem ser beneficiados com uma alta da inflação, ou também podem comprar ações de boas empresas que pagam dividendos, ou aplicar em fundos em multimercados.

Por último, o perfil arrojado ou agressivo pode aumentar a parcela de investimentos alocada em ativos de renda variável, sejam em fundos ou ações. A divisão do patrimônio poderia ficar 20% em renda fixa, 40% em multimercado e 40% em renda variável.

Para os investidores iniciantes, também é válido ter exposição à ações, mesmo que não muita, pois elas oferecem melhor rentabilidade. O conservador também pode aproveitar para testar de forma gradual a sua inteligência emocional com os riscos de perda na Bolsa de Valores.

Veja também: Nubank compra corretora Easynvest e pode facilitar investimentos para clientes