Ricardo atropela João Azevêdo, mostra que manda no PSB e deve assumir comando da legenda na PB

0
58

A ‘guerra fria’ entre ex e sucessor tem um novo capítulo na Paraíba. A direção nacional do PSB anunciou, no início da noite desta sexta-feira (16), a decisão de nomear uma comissão provisória para o partido na Paraíba. A “intervenção” acontece depois que integrantes do diretório estadual ligados ao ex-governador Ricardo Coutinho iniciaram movimento de renúncias, provocando a destituição do atual presidente, Edvaldo Rosas, e uma nova eleição na legenda, um ano antes do fim mandato.

O presidente Carlos Siqueira, que chegou a negar qualquer ingerência no processo, não cumpriu a palavra e cedeu às pressões do ex-governador. Ele informou que já conversou com o governador João Azevêdo para formação da comissão.

“Já conversei com o governador e hoje à noite vou conversar com Coutinho [Ricardo, ex-governador]. Penso que teremos que encontrar uma solução política de unidade, via diálogo tudo se resolve. Imagino que ninguém deseja o impasse”, disse o dirigente.

Desde a nomeação de Edvaldo Rosas para Secretaria Chefe de Governo, no início do mês, o PSB se dividiu. De um lado, as deputadas Cida Ramos e Estela Bezerra – historicamente ligadas ao ex-governador Ricardo Coutinho – deflagram a crise; do outro, o governador João Azevêdo e o próprio Edvaldo Rosas. As parlamentares defendem a saída de Rosas do comando do partido, para que o ex-governador assuma a condição. O pedido das deputadas foi retrucado por Azevêdo e Rosas.