‘Resistência’ espalha outdoors por João Pessoa com ataques à Lava Jato e desprezo ao combate à corrupção na Paraíba e no Brasil

0
103

A ‘resistência lulopetista’, que tem entre seus expoentes o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) e que tem sido ancorada por governadores nordestinos e partidos tidos como de esquerda, resolveram recorrer à mídia de massa para estampar uma campanha contra a maior operação de combate à corrupção do país e alguns dos seus maiores expoentes, o ex-juiz Sérgio Moro, atual ministro de Justiça e Segurança Pública, e o procurador da República, Deltan Dallagnol. Por meio de Outdoors que estampam as fotos de Moro e Dallagnol, o grupo denominado ‘amigos da democracia’ não consegue esconder a revolta com a Operação Lava Jato.

Também não é possível saber quem seriam os representantes do grupo, embora se presuma, tampouco quem estaria financiando os outdoors espalhados por algumas vias da Capital.

O fato é que a turma da ‘resistência’ não engole a Operação Lava Jato, que completa cinco anos recentemente. Conforme divulgado pelo Ministério Público Federal no Paraná, os 1.825 dias de trabalho de investigação, acusação e julgamentos resultaram em 242 condenações contra 155 pessoas, em 50 processos sentenciados por lavagem de dinheiro, corrupção ativa e passiva, fraude à licitação, organização criminosa, evasão de divisas, lavagem de dinheiro, tráfico internacional de drogas, crime contra a ordem econômica, embaraço à investigação de organização criminosa e falsidade ideológica.

Nesse período, R$ 2,5 bilhões retornaram à Petrobras, a principal estatal lesada pelo esquema, conforme determinação da Justiça – o que corresponde a uma média de R$ 1,37 milhão por dia devolvido aos cofres públicos desde 2014. Há ainda 11,5 bilhões a serem devolvidos para o erário, inclusive à petrolífera, conforme já acordado com a Justiça Federal.

No total de 13 acordos de leniência com empresas envolvidas, está previsto o ressarcimento de R$ 13 bilhões, valor superior à previsão de gastos da Justiça Federal (R$ 12,8 bi) ou do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (11,9 bi) descritos no Orçamento Anual de 2019 (anexo II). O MPF tem expectativa de que o valor apurado possa chegar a R$ 40 bilhões.