R5 Alpine: o desportivo compacto baseado no Renault 5

0
621

O Grupo Renault já deixou bem clara a sua posição em relação ao futuro quando apresentou o Renaulution — o plano de reestruturação que pretende regressar aos tempos de glória da construtora francesa — onde foi mencionado o compromisso no desenvolvimento de automóveis de segmento C e D, no entanto, do mesmo modo, a Renault abandona a sua carreira desportiva em virtude de expandir a da Alpine.

Alpine essa que entra como equipa na F1, participa no campeonato de resistência e assume a posição deixada pela Renault no desenvolvimento de desportivos. Esta marca que já foi vitoriosa regressa após uma aquisição na década de 70 e após vários anos a desenvolver veículos de elevado desempenho, a Alpine vem mais forte do que nunca e com todo o apoio financeiro do Grupo.

Sucedendo o famoso modelo A110 que trouxe memórias do tempo do Rally de Monte Carlo, numa clara aproximação ao famoso modelo vencedor, surge agora o R5 Alpine, um modelo em tudo baseado no novo Renault 5 elétrico apresentado pela Renault no início deste ano de 2021. Confira aqui o nosso artigo sobre ele. Este compacto totalmente elétrico desenvolvido agora nas fábricas da Alpine trará toda a tecnologia e know-how desportivos que este pequeno compacto poderia contar.

Conforme as metas a que se propõe, a Alpine, bem como a restante Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi seguem o caminho para a mobilidade elétrica, com foco tanto na pilha de combustível como nos cem por cento elétricos. Este R5 Alpine conta com a nova motorização elétrica usada e apresentada com o novo crossover elétrico da Renault, o Mégane e-Tech Electric, como confirmado por um engenheiro responsável.

Nesta ambição de lançar modelos desportivos elétricos, a Alpine não está sozinha. Além do desenvolvimento do R5 Alpine, existe ainda a ser desenvolvido um SUV (também elétrico) e outro veículo desportivo desenvolvido em parceria com a Lotus — que conta até com um pequeno difusor traseiro. O vice-presidente executivo de engenharia, Gilles le Borgne, confirmou que este R5 não será apenas um rebranding do Renault 5, mas também irá tirar partido de um motor frontal de 215 cv, que dependendo do peso, pode chegar dos 0 aos 100 km/h em menos de seis segundos.

Segundo Le Borgne, um modelo “da garagem de sonho [da Alpine] será uma edição R5” face ao sucesso e impacto obtido durante a era Renault 5 que marcou a construtora francesa para sempre. Quando questionado sobre de que forma uma arquitetura mais pequena — a CMF-BEV (mais compacta) — iria lidar com o novo motor elétrico presente no Mégane eVision, o responsável afirma ser possível, porque “queremos fazer carros Alpine”. Ao aplicar uma redução de tamanho no motor elétrico do Renault 5, ele passa a ter uma instalação global, face às plataformas existentes. Basta apenas “ajustar o chassi para algo mais desportivo no R5 Alpine”.

Os franceses da Alpine estão também a trabalhar num modelo SUV com o motor de 215 cv usado no Mégane e-Tech Electric e “uma surpresa na traseira”. A marca subsidiária da Renault procura desenvolver a tecnologia de vetorização de torque que pode ser usada nos diversos modelos para ter maior controlo e extrair mais desempenho do veículo. Existe uma forte probabilidade de o R5 Alpine poder vir equipado com uma bateria de 52 kWh (a maior da plataforma) capaz de 320 km de autonomia. Este chassi deve proporcionar um desempenho superior, partilhando componentes com a mesma plataforma que o Clio.

Fonte Autoexpress