Professores e alunos da Rede Municipal de João Pessoa têm boa adaptação com aulas virtuais

0
87

Durante esta pandemia do novo Coronavírus, os professores da Rede Municipal de Ensino de João Pessoa têm exercitado uma nova forma de aprendizado com as crianças e os adolescentes, as aulas virtuais. Utilizando o computador, os professores tiveram que adaptar a forma de passar o conteúdo para os alunos, onde a ferramenta antes usada para aperfeiçoar as aulas agora se tornou o principal meio de comunicação entre eles e os estudantes.

A assessora pedagógica da Diretoria de Gestão Curricular da Secretaria de Educação e Cultura da Capital (Sedec), Francisca da Costa e Silva, explicou que foram realizadas formações com a equipe docente, para que a qualidade das aulas permanecesse, assim como o interesse do aluno pelo conteúdo. “No início foi uma questão de adaptação, porque foi uma mudança brusca. Eles foram dormir professores presenciais e acordam professores virtuais”, relatou.

Tudo funciona com muito planejamento. As atividades são elaboradas com a participação de uma equipe e enviadas semanalmente para as famílias por meio de WhatsApp – vídeos e áudios explicativos. “O aluno que não tem acesso a internet em casa, fazemos a entrega das atividades impressas. A escola faz essa entrega do material seguindo todas as recomendações dos órgãos de saúde”, explicou Francisca da Costa e Silva.

Para as aulas virtuais, a Sedec criou uma plataforma própria, a Conexão EscoLar (http://www.joaopessoa.pb.gov.br/conexaoescolar/), onde são inseridas atividades padronizadas e vídeos de apoio às atividade. Tem ainda as plataformas Google ClassRoom e Google Forms, estas para os alunos que estão nos anos finais do Ensino Fundamental ou na Educação de Jovens e Adultos (EJA).

A Sedec conta ainda com duas parcerias. A plataforma ChatClass, que é gratuita e serve para o ensino do inglês, e a TV Câmara, para a gravação de aulas que são transmitidas pelo canal 39.2.

Simonne Calixto é professora na Escola Municipal Cônego Maria Freire, localizada no bairro da Torre. Ela lembra que no início foi difícil a adaptação, pois tinham muitos problemas de acesso. “Alguns alunos não tinham computador em casa ou o celular era antigo. Mas com o tempo e com as capacitações oferecidas pela prefeitura, todo foi se organizando. No início eram apenas 10 alunos nas aulas virtuais e hoje estou com 23 crianças assistindo aula nesse novo sistema de ensino”, afirmou.

Capacitação – Para essa nova forma de ensino, os professores da Rede Municipal passaram por capacitação, que continuam acontecendo semanalmente.“Hoje estou muito mais segura e até reinvento formas de chamar a atenção deles e passar o conteúdo. Nesse processo é muito importante também a participação dos pais. Esse apoio faz toda a diferença”, revelou Simonne Calixto.

Claudia Santos é uma dessas mães que estão bem atentas ao aprendizado das filhas – ela tem três estudando na Rede Municipal. “Não tive muita dificuldade em ajudar Claudymilla, de 11 anos, com as tarefas da escola. Ela mesmo pega no celular, entra na plataforma e faz as atividades todos os dias”, comentou.