Prefeitura organiza força-tarefa para dar assistência às famílias afetadas pelas chuvas na Capital

0
142

A Prefeitura de João Pessoa mantém o acompanhamento e apoio às famílias atingidas pelas chuvas que caem desde a última quarta-feira (12), na Capital. Até o início da tarde desta sexta-feira (14), 28 famílias, que tiveram as casas alagadas no Bairro São José, foram realocadas para a Escola Municipal Nazinha Barbosa, em Manaíra. No local, as pessoas estão recebendo atendimentos de saúde, como testes para Covid-19, cadastramento para programas sociais e alimentação.

Foram mobilizadas equipes das Secretarias de Direitos Humanos e Cidadania (Sedhuc), Desenvolvimento Social (Sedes) e Saúde (SMS) para acolhimento e cadastramento de 28 famílias que são do Bairro São José. As pessoas receberam colchões, kits de higiene, lençóis, máscaras, álcool em gel e estão sendo testadas para Covid-19, visando garantir a segurança sanitária de todos.

Até o início da tarde desta sexta foram distribuídas 120 quentinhas no local e a segurança alimentar das famílias está garantida com o fornecimento de todas as refeições necessárias.  O vice-prefeito, Leo Bezerra, destacou as ações da Prefeitura e os esforços para que as famílias sejam bem assistidas. “Todo o suporte está sendo dado pela Prefeitura de João Pessoa e conseguimos fazer com que algumas famílias aceitassem vir para o abrigo. Infelizmente ainda temos outras que não querem sair de suas casas, mas nossas equipes estão conversando com eles e esperamos que possam mudar de ideia, não se colocando em perigo. Estamos provendo todo o suporte de alimentação, incluindo jantar e durante o fim de semana”, completou.

Nas comunidades São Rafael e Padre Hildon Bandeira não há registro de famílias em abrigos. As que aceitaram sair de suas casas para evitar maiores riscos preferiram se deslocar à casa de familiares ou amigos. Mesmo assim, a Prefeitura vem dando o acompanhamento necessário, com a visita de assistentes sociais para verificar de perto as necessidades de todos, além da distribuição de 420 quentinhas, garantindo também todas as refeições.

“Nossa obrigação enquanto agentes públicos é conhecer de perto as necessidades das pessoas e estamos visitando todas as comunidades atingidas, levando os serviços da Prefeitura e da Sedes para garantir a dignidade dessas famílias que passam por um momento difícil, mas que não ficarão desamparadas”, reforçou o secretário da Sedes, Felipe Leitão.

Por sua vez, o secretário da Sedhuc, João Corujinha, lembrou que “a união entre as secretarias é algo muito importante, principalmente num momento delicado como esse e temos a alegria de ter um conjunto de equipes dedicadas ao seu trabalho e que fazem a diferença na vida de quem está precisando desse apoio da Prefeitura”.

A Defesa Civil continua o monitoramento das áreas de risco e comunidades da Capital. Além disso, as equipes estão realizando trabalho para que famílias das comunidades São Luiz e São Gabriel aceitem o abrigamento na Escola Municipal Chico Xavier, que está sendo preparada para acolher as que aceitarem se deslocar para lá.

Saúde – A rede municipal de saúde também está em alerta e preparada para prestar assistência à população nesse momento. A assistência inicia com a Atenção Básica fazendo uma triagem in loco e a atenção especializada ofertando o acompanhamento psicológico com os moradores atingidos pelas chuvas. A Rede de Urgência e Emergência preparou um esquema integrando o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU JP) e as Unidades de Pronto Atendimento (UPA). Essas equipes estão em prontidão para atender chamados e, se necessário a remoção de pacientes para uma unidade hospitalar. Para isso, as UPAs disponibilizaram leitos de retaguarda que receberão esses pacientes e os hospitais estão em alerta. 

Trânsito – Entre às 12h da quinta-feira (13) e às 12h desta sexta-feira (14), o Centro Operacional de Trânsito e Transporte (COTT), da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob-JP), foi acionado 73 vezes, sendo que 30 através do disk 118 e 43 por meio do número de whatsapp 987602134 e, em nenhum dos casos, houve relato de acidentes.

De acordo com o superintendente George Morais, as demandas foram relacionadas principalmente a vias intransitáveis por conta dos alagamentos e falhas em semáforos, sendo essencial a rápida atuação dos agentes de mobilidade para diminuir os riscos, como por exemplo, em cruzamentos semaforizados que apresentaram falhas técnicas, evitando através do trabalho dos servidores, que colisões acontecessem e, consequentemente, que alguém se ferisse.

“O trabalho integrado entre as pessoas que nos acionam mediante urgências de trânsito através do nosso disk 118 e whatsapp do Cott, agiliza a informação para nosso setor operacional, fazem com o que o deslocamento dos agentes de mobilidade nas ruas seja mais ágil e, com a atuação pontual em loco, mantemos o ordenamento do fluxo evitando os acidentes e vítimas”, explica ele.

A Semob disponibiliza ainda os perfis no Twitter (@transitosemojp) e Instagram (@semobjp) que disponibilizam, em tempo real, informações sobre ocorrências no trânsito da Capital.