Prefeitura de Lagoa Seca habilita servidores para melhor atender demandas da população LGBTQIA+

Foto: Reprodução

Na finalidade de promover uma sensibilização por parte dos servidores públicos no que diz respeito ao melhor atendimento à população LGBTQIA+ (lésbicas, gays, bissexuais, transexuais, travestis, queer, intersexo e assexuais), a Prefeitura de Lagoa Seca promoveu pela primeira vez na história um evento desta natureza. O momento aconteceu na manhã da quarta-feira (20), no Centro Marista de Eventos.

Entre outros objetivos do evento estiveram à exposição de direitos e garantias conquistadas até agora por essa população, bem como a necessidade de garantir políticas públicas para essa comunidade da qual contabiliza, em vinte anos, mais de cinco mil mortes de pessoas representadas por essas letras, segundo dados do Observatório de Mortes Violentas de LGBTI+, feitas pelos grupos Acontece Arte e Política LGBTI+ e Grupo Gay da Bahia (GGB), uma realidade que expõe violência resultante do preconceito sofrido por elas no Brasil. 

O encontro foi organizado pela Secretaria Municipal de Assistência Social, por meio do Centro de Referência Especializada de Assistência Social (CREAS), e reuniu coordenadores da própria pasta e de outras, como Saúde e Educação. Os trabalhos foram conduzidos pelo Centro Estadual de Referência dos Direitos de LGBT, em Campina Grande (Espaço LGBT – Luciano Bezerra), órgão ligado à Secretaria da Mulher e Diversidade Humana do governo estadual.

A programação contou inicialmente com a formação de grupos, para que eles pudessem avaliar casos reais de homofobia e quais condutas poderiam ser tomadas diante das situações. Logo após, uma palestra acerca do tema principal foi ministrada por representantes do Centro Estadual de Referência dos Direitos de LGBT.

Laura Brasil, coordenadora do Centro, disse que a abertura dada pela prefeitura ao debate possibilita uma integralização dos direitos e cidadania de todos. “Quando a gente [Centro] acessa esse serviço, conseguimos sensibilizar tais profissionais, além de percebermos uma rede integrada e a efetivação do sistema de proteção como um todo, esses são os papéis e objetivos do SUS e do SUAS (Sistema Único de Assistência Social). A gente fica muito feliz por essa abertura encontrada em Lagoa Seca, para que juntos realizemos um atendimento digno, humano e de integralização dos direitos e cidadania”, pontuou. 

“Recebemos quase que diariamente demandas de pessoas que sofrem preconceito. É por isso que a gente realiza este momento tão importante, sempre buscando um olhar sensível às causas, respeitando cada pessoa e sua individualidade. A política social tem ganhado mais força na nossa cidade, graças ao enorme apoio dado pelo prefeito Fábio Ramalho”, destacou a secretária de Assistência Social, Michelle Ribeiro.

Da Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Lagoa Seca