Prefeitura de João Pessoa vai instalar estação digital para capacitar jovens e adultos de comunidade quilombola

0
120

A população do bairro de Paratibe vai ganhar, nos próximos meses, uma estação digital para capacitação de jovens e adultos. A iniciativa é fruto de uma parceria da secretaria de Ciência e Tecnologia de João Pessoa (Secitec) com a Associação Beneficente das Comunidades Remanescentes de Quilombo Palmares (ABCRQ-JP).

O diretor de Difusão e Inovação Tecnológica da Secitec, Edvaldo de Vasconcelos, disse que é possível instalar até dez computadores, mas antes é preciso verificar a estrutura do local, a exemplo da capacidade da rede elétrica e, se necessário, fazer a adequação do espaço para depois colocar os equipamentos e treinar uma pessoa para orientar os usuários.

“Após a instalação dos computadores, nós vamos treinar um instrutor da própria comunidade que será responsável pela estação digital e pela orientação das pessoas que vão utilizar o espaço, seja para os cursos de capacitação oferecidos pela Secitec, para trabalhos escolares e pesquisas”, explicou Edvaldo.

A partir da instalação dos equipamentos, os moradores de Paratibe terão acesso a todos os 28 cursos EAD disponibilizados pela Secitec. Atualmente estão sendo oferecidos cursos na área de Desenvolvimento Web, Office, Edição de Imagens e Vetores, Administração, Inovação e Gestão, dentre outros que podem ser acessados no site ead.secitecjp.com.br.

A secretária de Ciência e Tecnologia, Margareth Diniz, disse que uma das missões da Secitec é levar o conhecimento tecnológico e científico à sociedade. “Numa ação como essa junto à comunidade Quilombola de Paratibe, nós estamos levando equipamentos e capacitação para a região. É uma ação de inclusão digital, além de inclusão social à medida que os cidadãos estarão mais preparados para o mercado de trabalho”, afirmou.

Para o presidente da Associação, Cristiano Ramos, essa iniciativa é uma oportunidade ímpar, principalmente para os jovens da comunidade. “Com a instalação desses equipamentos, as pessoas que não têm computador ou internet terão acesso a vários cursos, aumentando as chances de entrada no mercado de trabalho”, avaliou.