Prefeitura de João Pessoa e Ministério Público definem plano de ação para assistência aos Venezuelanos

0
132

Representantes da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), das Secretarias de Saúde (SMS) e Desenvolvimento Social (Sedes), se reuniram, na tarde desta quinta-feira (13), com o Ministério Público Federal (MPF) para definir um plano de ações visando garantir uma assistência emergencial aos venezuelanos encontrados em situação precária em uma vila no bairro do Roger. O encontro aconteceu na Procuradoria da República na Paraíba e reuniu representantes da Fundação Nacional do Índio (Funai), Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), entre outras entidades.

Na ocasião, a PMJP se prontificou em continuar, durante a próxima semana, oferecendo alimentação para os venezuelanos – desde que tomou conhecimento do caso, a Sedes já entrou com ações de ajuda as famílias. A Secretaria Municipal de Saúde, por meio do Samu-192, também vem dando uma assistência, conduzindo os doentes aos hospitais de referência.

“Vamos continuar até a semana que vem fornecendo alimentação para os índios venezuelanos. É quando teremos outra reunião com o Ministério Público para ver quais serão os próximos passos que daremos. É de total interesse da nossa gestão oferecer assistência a todos eles, seja do campo da assistência social ou saúde”, disse o secretário adjunto da Sedes, Vítor Cavalcante.

Está prevista para esta sexta-feira (14) uma visita de equipes da Sedes, SMS e Funai a vila onde estão morando os venezuelanos, visando realizar um levantamento, por meio de um formulário, para conhecer melhor a realidade do grupo e a partir disso ter mais capacidade de contribuição, de forma mais específica.

Segundo o coordenador médico do Samu-JP, Luís Renato Custel, ao chegar ao local, o Samu encontrou crianças e idosos em situação de desnutrição grave, com doenças de pele, quadro de pneumonia e em uma situação de vulnerabilidade. “Após conversar com as famílias, conseguimos conduzir os pacientes mais graves, juntamente com os outros integrantes da família, para um hospital de referência. Ao retornar para caa, elas serão inseridas no processo de saúde de atenção integral”, disse.

Na reunião também foi definido que será marcado outro encontro com a participação dos venezuelanos para tratar das questões de moradias e educação, além de ouvir suas pretensões na cidade.