Prefeito de Camalaú permanece afastado depois de pedir “dinheiro do refrigerante” ao contratar banda de forró

Foto: Reprodução

O Tribunal de Justiça da Paraíba recebeu uma nova denúncia do Ministério Público contra o prefeito de Camalaú, Alecsandro Bezerra dos Santos, denunciado por pedir ‘dinheiro do refrigerante’ ao contratar uma banda de forró, e manteve seu afastamento do cargo. Ele é acusado de corrupção passiva por ter solicitado pagamento de propina em dinheiro a banda “Banda Pedrinho Pegação”. 

O prefeito Alecsandro Bezerra dos Santos, que já se encontra afastado do cargo, também foi denunciado na operação “Rent a Car”, acusado dos crimes de falsificação de documentos, fraude em licitação e desvio de recursos públicos. Ele chegou a ser preso e afastado do cargo à época.

Ainda segundo o TJPB, o gestor responde a processo por furto de água de uma adutora da Cagepa para abastecer imóvel rural de sua posse ou propriedade e há ainda duas investigações em andamento fundadas em elementos concretos (um inquérito policial, por posse ilegal de arma de fogo e um PIC por lavagem de dinheiro).

De acordo com a denúncia, o prefeito entrou em contato por aplicativo de mensagem com o proprietário da banda “Pedrinho Pegação”. Ao final da negociação, o gestor acertou a contratação da banda por R$ 25 mil, mas expressamente solicitou ao dono que lhe repasse “o dinheiro do refrigerante”. “Existe, portanto, indício concreto apontando que Alecsandro Bezerra dos Santos solicitou para si vantagem indevida (propina) em decorrência da função. Note-se que o denunciado fala expressamente em dinheiro, usando o jargão “dinheiro do refrigerante” que é sabidamente associado a pagamento de propina”, diz a denúncia do MPPB.

de Maurílio Júnior