Pessoas com síndrome de down e autismo podem se vacinar contra Covid-19 nesta quinta-feira em João Pessoa/PB

0
60

Nesta quarta-feira (31), Dia Mundial da Saúde e Nutrição, o vereador Marmuthe Cavalcanti destaca a necessidade de incluir nutricionistas nas equipes multiprofissionais das escolas municipais, Unidades Básicas de Saúde (UBS), e demais programas de Saúde da Família em funcionamento na capital paraibana. A respeito desse tema, o parlamentar apresentou na Câmara de João Pessoa, no último mês de fevereiro, dois projetos de indicação (13/2021 e 14/2021), já enviados para o Poder Executivo Municipal.

Segundo dados da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), realizada pelo Ministério da Saúde em todas as capitais do País, e divulgada em 2017, a Cidade de João Pessoa é exemplo das marcas negativas do crescimento das doenças alimentares e suas complicações. Cerca de 21,7% da população da Capital estava obesa, conforme a mencionada pesquisa. O índice é o maior entre as capitais do Nordeste, ficando à frente de Maceió (21,1%) e Aracaju (20,2%), e acima da média nacional (18,9%). Ainda conforme o Ministério da Saúde, mais da metade da população de João Pessoa estava acima do peso, pouco mais que 56% dos habitantes. Ou seja, 71% da população estava, naquela data, com excesso de peso ou obesa.

“A presença do profissional nutricionista nas escolas da Rede Municipal de Ensino possibilitará um melhor acompanhamento preventivo no combate não só às comorbidades físicas da má alimentação, mas também às psicológicas, visto que a nutrição é essencial no desenvolvimento cognitivo e na personalidade de uma pessoa. Essa assistência resultará em benefícios não só para os estudantes do Município, mas também para suas famílias, pois o aprendizado e a prevenção são as maneiras mais econômicas, sustentáveis e eficientes de incentivar uma melhor alimentação dentro de casa”, justificou Marmuthe.

Por sua vez, fortalecer e qualificar o cuidado nutricional no âmbito da atenção primária das Unidades de Saúde é uma forma mais econômica, ágil, sustentável e eficiente de prevenir a ocorrência de doenças, devendo ser priorizada em detrimento do trabalho de referenciar os pacientes para o atendimento hospitalar, num futuro próximo, em decorrência de deficiências nutricionais, que certamente serão mais severas e menos reparáveis. A presença do profissional nutricionista na Unidade Básica de Saúde da Família traz à comunidade indispensável acompanhamento preventivo no combate não só às comorbidades físicas da má alimentação, mas também às psicológicas.

“É imperativo o desenvolvimento de uma agenda multiprofissional de promoção da saúde que reconheça a importância e indispensabilidade do profissional nutricionista no atendimento primário. As Unidades Básicas de Saúde da Família são, para milhares de pessoenses, o primeiro contato com a atenção multiprofissional de saúde. O acolhimento nestes espaços deve ser, portanto, o mais completo e preventivo possível. As práticas coletivas de educação alimentar devem estar presentes nas escolas e na base da Saúde Pública, e isso se dá por meio do trabalho especializado do profissional da Nutrição. Por isso, apresentamos dois projetos sobre este tema na Câmara de João Pessoa e solicitamos a implementação destas medidas, o quanto antes”, concluiu Marmuthe.

Deixe uma resposta