Parlamentar de João Pessoa defende vacinação para professores e demais profissionais da Educação que residem ou trabalham em outras cidades

0
70

O vereador Marmuthe Cavalcanti saiu em defesa da vacinação imediata para todos os profissionais da Educação que residem ou trabalham em cidades vizinhas à capital paraibana. Segundo o parlamentar, existem diversos relatos de pessoas que, mesmo tendo direito, estão sendo impedidas pela Prefeitura de João Pessoa de tomar a vacina contra a Covid-19. São pessoas que residem em João Pessoa, mas trabalham em cidades vizinhas, ou vice-versa: trabalham em João Pessoa, mas residem em cidade vizinha.

São centenas de trabalhadores, muitos deles cidadãos pessoenses, que se enquadram neste perfil e estão sendo prejudicados, sem tomar a vacina. Vale salientar que a vacinação imediata destes profissionais da Educação é fundamental para garantir o retorno seguro das aulas presenciais, ou ampliar a prevenção, individual e coletiva, nos casos em que as aulas já tenham sido retomadas de forma presencial.

“Não é justo que estes trabalhadores, que se enquadram no perfil autorizado para receber a vacina contra o Coronavírus, sejam prejudicados ou discriminados por questões burocráticas. A regra deve ser a mesma: vacina já para todos os profissionais da Educação! Enquanto não há vacina disponível para toda a população, a Prefeitura deve adotar critérios de isonomia e razoabilidade para que um grande número de pessoas não fique desprotegido e circulando entre as cidades próximas a nossa, correndo o risco de se infectar ou transmitir o vírus”, advertiu Marmuthe.

Além disso, o Ministério da Saúde anunciou na última sexta-feira (28) o início da vacinação dos trabalhadores da educação no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19. A imunização dos trabalhadores da Educação ocorrerá das primeiras para as últimas séries, contemplando, nesta ordem: creches, pré-escolas, Ensino Fundamental, Ensino Médio, Ensino Profissionalizante, e Educação de Jovens e Adultos (EJA). Em seguida, serão contemplados os profissionais da Educação Superior.

“Os critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde para vacinação dos profissionais da Educação são bem claros, e devem ser cumpridos! Diante da gravidade da pandemia e da urgência pelas vacinas, a Gestão Municipal não deve criar dificuldades adicionais para vacinar quem se encaixa no perfil autorizado para imunização. Por exemplo, existem profissionais da UFPB e IFPB que fazem o deslocamento diário entre os campi destas instituições. Quando chegar o momento, eles precisam e devem ser vacinados aqui mesmo na Capital, sem impedimento ou constrangimento”, disse Marmuthe.

Deixe uma resposta