Suplente de vereador assassinado se preparava para assumir cadeira na Câmara Municipal

anderson

Anderson Maravilha, assassinado ontem, terça-feira (10), a tiros no bairro de Santa Rosa, em Campina Grande, era o 1º suplente da coligação composta pelo PTC e PPL, e ocuparia vaga deixada pelo vereador Pastor Breno (PPL), que irá disputar vaga na Câmara Federal no pleito deste ano.

A Delegada de Homicídios, Ellen Maria, está à frente dos levantamentos. Segundo Ellen, devem ser avaliadas todas as linhas de investigação que podem justificar a motivação para o delito.

Maravilha em 2016 alcançou 926 votos pelo Partido Pátria Livre (PPL), na base do prefeito Romero Rodrigues (PSDB).

Redação

Veja também:

  • Pai e filha morrem atropelados por caminhão na BR-230; veja vídeo