Saiba mais sobre a história da Escola Técnica Redentorista

ETERImagem: colcha de Retalhos Históricos de Campina Grande

Escola Técnica Redentorista – ETER foi criada em 1975, por Fr. Edelzino de Araújo Pitiá. Desde a sua criação, tem como lema: “Educar é Libertar” e como missão a formação humana e profissional de jovens de classes sociais menos favorecidas, qualificando-os como profissionais de nível Técnico.

No início, a Escola tem recebido numerosas subvenções, sendo caracterizada, portanto, como uma entidade na comunidade. Os conselhos de vários professores da UFPB – Campus II, atual UFCG – estava presente, com a participação do Professor Linaldo Cavalcante; orientações quanto à estrutura curricular e organizacional veio da Escola Técnica de Eletrônica de Santa Rita do Sapucaí – MG; e o Núcleo de serviço Industrial (NAI/PB), que colaborou na elaboração do Regimento interno.

Os laboratórios recebeu o seu primeiro equipamento, através de doações da Agência de Cooperação Técnica dos países baixos (CEBEMO). Contribuiu, também, o British Council e a Fundação de Voluntários holandeses (SNV).

Como uma Instituição Privada, mas na categoria de caridade e comunidade, foi necessário celebrar acordos de bolsas de estudo com o Departamento de Educação e Cultura (SEC/PB), e com as empresas locais, do Estado e da Região, além de parcerias a vários níveis. O acordo com o SEC/SC é de 30 anos.

Em 1998, a Escola firmou um acordo com o MEC, através do Programa de Expansão da Educação Profissional (PROEP), permitindo que você implantar a reforma do ensino profissional, em conformidade com os requisitos da Lei de Diretrizes e Bases da Educação, 9394/96.

Desde 1975, a Escola Técnica Redentorista tem cumprido a sua missão; formada em cerca de 7000 jovens estão habilitados para ingressar no mercado de trabalho como Técnicos em Eletrônica, Telecomunicações, Informática, Segurança, Equipamentos Biomédicos, Enfermagem, Guia de Turismo, Logística e Reabilitação de Dependentes Químicos.

Nas Missões Populares, os Missionários Redentoristas pregam a Redenção pela Palavra (a Boa notícia de Jesus Cristo). Na Escola Técnica Redentorista, o trabalho realizado sob a ótica de uma educação libertadora, da opção evangélica e preferencial pelos pobres, é uma Marca de REDENÇÃO do Nordeste sofrido e, ao mesmo tempo, SINAL E REALIZAÇÃO DE BOA nova para os POBRES.

Veja também:

  • Escola técnica Redentorista encerra atividades em Campina
  • Ivonete Ludgério defende a municipalização da Escola Técnica Redentorista