Operação Cartola deve acabar diligências sigilosas na próxima semana

Operação CartolaImagens: Polícia Civil (JP)

A Operação Cartola, que investiga crimes nas instituições de futebol da Paraíba, pode encerrar as diligências sigilosas na próxima semana. De acordo com o delegado Lucas Sá, responsável pela Operação, os crimes eram cometidos, na maioria, a pedido dos dirigentes de alguns clubes aos presidentes e diretores das federações e comissões de futebol.

Lucas informou que já comprovaram um complexo sistema de corrupção. Os nomes e os crimes que todos cometeram serão divulgados na entrevista coletiva, prevista para os próximos dias.

“Posso adiantar apenas que, das condutas investigadas, temos comprovação de interferência direta de dirigentes de clubes em membros da arbitragem. Outro crime foi a interferência da Federação Paraibana de Futebol (FPF) na arbitragem, atendendo a pedidos de dirigentes de clubes, além da comprovação da participação direta da Comissão de Arbitragem, dos seus membros, os árbitros, atendendo da pedidos de clubes”, declarou.

O delegado informou ainda que, a cada dia, a equipe investigativa recebe denúncias por telefone, através das testemunhas e informantes. Mais três investigados foram intimados nesta quinta-feira (12) e serão ouvidos na segunda-feira (16).

Um ofício foi recebido pela Polícia Civil, do Supremo Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), solicitando que a PC enviasse as informações da Operação. A Justiça abriu um procedimento preliminar. Mas o delegado acredita que a Justiça só tomará posição quando receberem o resultado das diligências, que ainda estão em andamento.

“Dependendo de todos esses interrogatórios, o que for apurado, a gente encaminha para a STJD e o sigilo poderá ser retirado em breve. Com isto, a coletiva de imprensa poderá ocorrer ainda na próxima semana, para a polícia informar detalhes dos crimes e dos envolvidos”, concluiu.

Valdívia Costa do PB Debate

Veja também: Operação Cartola pode destituir e suspender dirigentes paraibanos