O prefeito de Campina Grande cai municipalização do Redentorista

1200px Escola Técnica RedentoristaFoto: Reprodução

Retornando de Brasília na quinta-feira, 8, o prefeito Romero Rodrigues (PSDB), lamentou o encerramento da Escola Técnica Redentorista (ETER), de Campina Grande, anunciado oficialmente na última terça-feira, 6. De acordo com Romero, essa é uma notícia muito triste, em relação a uma instituição com mais de 40 anos de trabalho na cidade, tendo contribuído para o desenvolvimento profissional de milhares de jovens para as gerações.

De acordo com o prefeito, perante a perplexidade da notícia, é natural que surjam manifestações e mobilizações no meio da classe política, no sentido de propor que a Cidade de Campina Grande municipalize a tradicional escola técnica, como uma forma de resolver a situação. Mas, o gestor observou que, se fosse apenas para que a vontade política, este problema poderia ser solucionado, já que ele, pessoalmente, sempre foi, por um longo tempo como um entusiasta e defensor do ÉTER.

O prefeito lembrou que, na condição de deputado federal (2010-2012), apresentou um requerimento, cumpridas pelo Ministério da Educação, o que inclui o Redentorista de Campina Grande como credenciados junto ao Pronatec (Prograna Nacional do Ensino Técnico). Dentro das limitações do governo da Cidade, também apoiou a Escola na sua gestão.

Lamentando o fato de que a prestação de apoio nunca foi do interesse do atual Governo do Estado, Romero defendeu que o desprezo da administração de Ricardo Coutinho (PSB), em relação a Campina Grande também atingiu o ÉTER, pela sistemática cortes nas bolsas de estudo.

Com relação a uma possível municipalização da instituição, o prefeito da cidade observou que há um processo muito simples, principalmente por depender mais do que vontade política, recursos financeiros consideráveis e permanentes para a manutenção da escola.

Rodrigues lembra que, no limite da caixa de sala, a sua gestão já possibilitou a municipalizações do Hospital Pedro I, e da AACD, além dos serviços do Hospital, Dr, Edgley. Ainda mantém um arrojado programa de bolsas de estudo para estudo de hall, com foco no ensino superior, o Probem.

No total, são compromissos que vão para impor um peso muito grande na gestão financeira do município e, como uma questão de responsabilidade, de compromisso com o equilíbrio financeiro do Município e do bom senso, não pode impulso para enfrentar este desafio.

Isso não significa, no entanto, que ele não está disponível para ajudar, de todas as outras formas possíveis – inclusive em termos de pressão política para encontrar uma solução para o encerramento da tradicional escola técnica, inclusive com uma saída através da federalização da unidade.

Veja também:

  • Saiba mais sobre a história da Escola Técnica Redentorista
  • Escola técnica Redentorista encerra atividades em Campina