Nova gestão em Cabedelo/PB chamou a atenção para a economia de mais de R$ 4 milhões

Com uma política que visa ao controle de gastos e o respeito do dinheiro público, a Cidade de Cabedelo (PMC) é capaz de aumentar o investimento na obra para a cidade e reduzir os custos com diárias e com contratos temporários.

O que mostra a Evolução das Despesas no Orçamento do município, Tribunal de Contas do Estado (TCE). Em comparação com 2017, o COMITÉ de acompanhamento do programa investiu, até agosto, mais de 92% das obras pela cidade. O gráfico mostra que, este ano, já foram convertidos para R$ 2,6 milhões na obra, contra R$ 1,3 milhões em todo o ano passado.

Compare no mesmo período, as despesas com diárias foi reduzido em 35%, e as despesas de contratação, por um período indeterminado, para 22%, gerando uma economia de cerca de R$ 4 milhões para os cofres do interior.

A folha de pagamento também tem conseguido uma redução significativa de 30%. Logo ao assumir a gestão, o prefeito de Victor Hugo, anunciou o lançamento de servidores fantasmas e o desaparecimento de postos de trabalho com supersalários (R$ 10 e R$ 5 mil). As medidas, e gerou poupança imediata de mais de r$ 5 milhões.

“Montgomery é uma das maiores coleções do Estado. Mas também foi um dos Folhetos mais inflado, com os trabalhos sendo usado como moeda de troca política. Quando assumimos, reunimos nossa equipe de técnicos e fomos capazes de secar significativamente, e as Folhas, o que nos permite investir imediatamente na calçada, e o pavimento das ruas, a exemplo do projeto na Elaboração de Cabedelo, o maior na área de infra-estrutura encontrada na cidade. Gerentes de teste devem ser conscientes, responsáveis e comprometidos com o desenvolvimento da cidade de ai, e o TCE certificação com este gráfico da Evolução do Orçamento dos Gastos Municipais. Nós assumimos o governo da Cidade para fazer a gestão, e não política. Os números provam isso, e aqueles que andam pela cidade”, disse Victor Hugo.

Redação com PB Agora

Selecionamos para você