Lídia Moura afirma que foi vítima de ‘vigarice política’ do grupo Cartaxo e que teve que gritar com secretário da Prefeitura

21766852 1668549646503043 4641665822345776981 n

A ex-secretária de Políticas Públicas para Mulheres de João Pessoa e presidente estadual do PMN, revelou os motivos que a levaram romper com o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV). A jornalista afirmou que foi vítima de “vigarice política”.

Moura disse que o prefeito esvaziou a chapa proporcional do PMN e levou os pré-candidatos a deputado federal do partido para o Partido Verde (PV). Lídia relata que recusou se manter na gestão depois da traição, mesmo sendo pressionada pelo então secretário Zenedy Bezerra, braço direito de Cartaxo.

Lídia falou ainda que a última conversa com Bezerra foi bastante tensa e teve até que gritar para se impor. “Não somos um partido grande, mas somos um partido honrado”, destacou.

Redação com Marcos Weric

Veja também:

  • “Política não pode ser uma atividade de pai para filho”, dispara João Azevedo
  • Mesmo após rompimento entre PSB e Raimundo Lira, deputado garante apoio à reeleição do senador
amei