Educação LGBTI deve ser obrigatória nas escolas da Escócia

lgbtImagem ilustrativa/reprodução

A escócia tornou-se na sexta-feira (09) foi o primeiro país do mundo a incorporar oficialmente o ensino dos direitos de lésbicas, gays, bissexuais, transexuais e intersexuais (LGBTI) no currículo escolar. Para os ativistas que fizeram pressão sobre o governo para aprovação, este é um “momento histórico”.

Nos últimos meses, os escoceses têm acompanhado o crescimento da “campanha de Tempo para a Educação Inclusiva” [o Tempo da Educação Inclusiva] que foi destinada a orientar as mudanças no currículo.

Com a aprovação na totalidade das demandas de grupos de defesa de direitos das pessoas LGBTI”, as escolas públicas serão necessárias para ensinar os alunos desde a primeira série sobre temas como “história das igualdades, e dos movimentos das pessoas LGBTI no país”, além de promover ações de combate a homofobia e transfobia”, explicando cedo sobre os problemas relacionados a ‘identidade de gênero’.

Jordan Daly, co-fundador da campanha para a inclusão destas orientações no currículo da escola, diz: “Esta é uma vitória do monumental para a nossa campanha e de um momento histórico para o nosso país”. Para o ativista, “isso envia uma mensagem forte e clara para os jovens as pessoas LGBTI que eles são valorizados aqui.”

Um dos principais argumentos para expor as crianças a um destes tópicos foi um estudo que mostrou como havia “pouca compreensão do ambiente escolar sobre o preconceito contra as pessoas com as variações de orientação sexual e de gênero, e os corpos intersex”.

O vice-primeiro-ministro, John Swinney, fez uma declaração, onde ele afirmou: “tenho o prazer de anunciar que seremos o primeiro país do mundo a ter uma educação inclusiva para LGBTI inserido no currículo. O nosso sistema de educação deve apoiar todas as a atingir o seu pleno potencial”.

Desde de 2016, o movimento político para a adopção de um conhecido agenda ideológica que vinha crescendo na Escócia, que já foi descrito como tendo “o Parlamento é o mais gay do mundo”. Vários deputados e líderes do partido, identificar abertamente como lésbica, gay ou bissexual.

Com informações Do Guardian

Veja também:

  • A terceira Edição do Fórum da Espiritualidade Cristã, o Empreendedorismo acontece nos dias 17 e 18 de novembro em Campina
  • O prefeito de Puxinanã anuncia cursos de formação profissional gratuitamente para a população