Donald Trump anuncia ataques aéreos na Síria

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou na noite desta sexta-feira que ordenou ataques aéreos na Síria. A ação americana, aliada a França e Reino Unido, é uma resposta ao suposto uso de armas químicas pelo regime do ditador sírio, Bashar al-Assad, que deixou dezenas mortos e centenas de feridos no país. Segundo veículos da imprensa estrangeira, como os jornais americanos Washington Post e The Wall Street Journal, o francês Le Monde e as redes de TV BBC e CBS, os bombardeios já foram iniciados.

“Estamos preparados para manter essa resposta até que o regime sírio pare com o uso de reagente químicos proibidos. Também tenho uma mensagem aos dois governos que apoiam a Síria, Irã e Russia: que tipo de nação quer estar associada a um governo que mata mulheres, crianças e homens de fora massiva?”, afirmou Trump, que ainda classificou Assad como “ditador brutal e assassino”.

O presidente americano afirmou que o ataque químico sírio é resultado do “fracasso” da promessa do presidente russo, Vladimir Putin, de que acabaria com as armas químicas do regime de Bashar al-Assad. “Putin prometeu que ia acabar com as armas químicas da Síria. Os ataques são reflexo do fracasso da Rússia em cumprir essa promessa”, declarou o republicano em seu pronunciamento.

Na quarta-feira (11), Trump comentou que a Rússia tinha dito que derrubaria quaisquer mísseis disparados na Síria. “Fique preparada, Rússia, porque eles virão, belos e novos e ‘inteligentes’!”, afirmou. A declaração do líder americano gerou uma resposta da porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, segundo a qual “mísseis inteligentes deveriam voar na direção de terroristas, e não na direção do governo legítimo, que tem combatido o terrorismo internacional em seu território por diversos anos”.

Na quinta-feira (12),  Donald Trump havia recuado sobre a posição. Por meio de sua conta no Twitter, o republicano publicou que “nunca disse quando um ataque à Síria ocorreria. Pode ser muito em breve ou não tão breve assim! Em todo caso, os Estados Unidos, sob minha administração, fizeram um grande trabalho de livrar a região de ISIS (sigla do Estado Islâmico). Onde está o nosso ‘Obrigado América?’”, ironizou.

Veja

amei