Direitos da pessoa com deficiência é discutido em seminário realizado em Campina Grande

download (17)

A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Humano (Sedh) e o Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência realizaram em Campina Grande, o Seminário Regional dos Direitos da Pessoa com Deficiência, que reuniu representantes dos municípios que possuem Conselhos Municipais e profissionais dos serviços que compõem a rede de atendimento a pessoa com deficiência.

Na abertura do evento, o presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Hellosman de Oliveira Silva, falou dos desafios diários enfrentados pelas pessoas que possuem algum tipo de deficiência, e lembrou dos avanços proporcionados pela gestão estadual por meio da Fundação Centro Integrado de Apoio ao Portador de Deficiência (Funad). Já a representante da Sedh, Gilmara Andréa de Oliveira, destacou os vários serviços prestados pelo Governo do Estado, por meio da Funad, órgão ligado à Sedh, e que atende diariamente a centenas de pessoas com algum tipo de deficiência.

O evento contou com uma primeira mesa que discutiu Controle Social e Defesa de Direitos, e teve como expositores os representantes dos Conselhos Estaduais da Pessoa com Deficiência – CEDPcD/PB, Hellosman de Oliveira Silva; de Assistência Social – CEAS/PB, Karla Rosângela Felinto de Araújo; dos Direitos da Criança e do Adolescente – CEDCA/PB, Maria do Socorro Carvalho; de Segurança Alimentar e Nutricional – Consea/PB, Renilda de Albuquerque; dos Direitos da Pessoa Idosa – CEDPI/PB, Vandinei Viegas.

Numa segunda mesa, foram discutidos Avanços e Desafios nas Políticas Públicas voltadas para o segmento da Pessoa com Deficiência e a rede de proteção intersetorial dela participaram a técnica da Gerência Estadual da Proteção Social Básica da Sedh, Gilmara Andréa de Oliveira; a gerente estadual de Proteção Social Especial da Sedh, Maria Madalena Dias; a presidente da Funad, Simone Jordão Almeida; o coordenador do Núcleo de Políticas Públicas do Ministério Público da Paraíba, procurador Valberto Lira; da coordenadora de Promoção dos Direitos das Pessoas Idosas e das Pessoas com Deficiência, defensora pública Fernanda Peres da Silva.

De acordo com a gerente estadual de Proteção Social Especial da Sedh, Maria Madalena Dias, o seminário tem como objetivo mobilizar a sociedade civil a participar ativamente das instâncias de controle social. “Na oportunidade, discutimos os avanços e desafios presentes nas políticas públicas. Participaram deste evento cerca de 170 profissionais que compõem da rede de atendimento a pessoa com deficiência de municípios da região e profissionais do Estado. Como resultado deste Seminário, esperamos promover o debate para o fortalecimento das instâncias de controle social e, consequentemente, o aprimoramento das políticas públicas”, afirmou.

O Seminário Regional dos Direitos da Pessoa com Deficiência contou com um momento marcante e que emocionou aos presentes: a apresentação de alunos da Escola Especial de Música da Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc), Amanda Miranda e Rodrigo Filgueira.

Amanda Miranda de Alexandrino Leite, 28 anos, encantou a todos com sua apresentação de violino. Amanda tem Síndrome de Down e há sete anos frequenta a Escola de Música. Ela apresenta um outro número, ao lado da mãe, Maria Sueli Miranda de Alexandrino Leite, que há cinco anos decidiu também aprender a tocar o instrumento.

Porém as habilidades de Amanda não se limitam a música, apesar de possuir em seu currículo, apresentação com o cantor Chico César por ocasião do lançamento do livro do compositor e cantor, ‘O Agente Laranja e a Maçã do Amor’. Nadadora dos quatro estilos: costa, peito, borboleta e crawl. E pintora, já tendo exposto 20 de suas telas na Estação Ciência.

O coordenador da Escola, Leonardo Limongi, ressaltou que a unidade possui atualmente cerca de 70 alunos matriculados. “É importante o estímulo e apoio dos pais, familiares e amigos de pessoas que possuam algum tipo de deficiência, seja física ou intelectual, mas que podem perfeitamente desenvolver suas habilidades musicais”.

Veja também: Apae de Campina Grande tem programação especial na Semana da Pessoa com Deficiência

Justiça aumenta vagas para pessoas com deficiência na UFCG

Universidade terá cotas para transexuais, travestis, quilombolas, ciganos, pessoas com deficiência e autismo

Da Redação Paraíba Debate com Portal Carlos Magno e Secom-PB.