Conduta questionada: o CNJ vai determinar a ida eu Vivo para o ministério

moro12

O corregedor nacional de Justiça, Humberto Martins, apresentou hoje (9) um pedido de ação para o juiz federal Sergio Moro explicar consultas ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) sobre sua suposta atividade política, enquanto ainda exercia o poder judiciário.

As declarações foram feitas depois que Moro aceitou o convite para o cargo de ministro da Justiça do presidente eleito Jair bolsonaro. O juiz perguntou para um feriado e antes de se lembrar do poder judiciário, passou a se reunir com a equipe de transição do governo. Antes, ele se encontrou com o bolsonaro, no Rio de Janeiro.

Martins deu 15 dias para Viver, e informações de pagamento, “com o objetivo de facilitar uma melhor compreensão dos fatos”. Pela Lei Orgânica da Magistratura, os juízes não podem se envolver em atividades políticas. Ao todo, foram feitas três perguntas para conduzir ao Vivo, um por um cidadão, o outro, pela Associação Brasileira de Advogados para a Democracia e um terceiro pelo PT.