Candidatura de Pedro ao governo inviabiliza reeleição de Cássio e nome Lucélio ganha força, diz Romero

Diferente do presidente estadual do PSDB, Ruy Carneiro, o prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSDB) não considera viável a candidatura do também tucano Pedro Cunha Lima ao Governo do Estado. Para o gestor, postulação de Pedro tornaria inviável a disputa à reeleição de Cássio Cunha Lima ao Senado.

“A gente tem que decidir em torno de um nome, e o nome de Pedro cria impedimento para a reeleição do senador Cássio Cunha Lima. Isso é a uma análise que tem que ser feita. É claro que não caberia Pedro candidato a governador e Cássio senador”.

Segundo Romero, “na prevalência do nome de Cássio senador, ganha força a candidatura de Lucélio Cartaxo”, irmão o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, ambos do PV.

O prefeito defendeu ainda que decisão do candidato do grupo seja tomada nos próximos dias, para que vencida essa fase, e diante do período reduzido de campanha, a oposição possa trabalhar em uma pré-candidatura. “O que espero é que a gente consiga vencer essa dificuldade pelo menos até o próximo fim de semana”, afirmou.

Já sobre a sua esposa, a médica Micheline Rodrigues, compor a vice na chapa, Romero disse que não há “veto”, mas que indicação não será um pré-condição para apoio. “Eu não vou colocar como condição a indicação da minha esposa para compor a chapa. Se compreenderem que a gente contribui melhor colocando o nome de Michele, não tem nenhum veto”, explicou.

Selecionamos para você

amei