Apagão não compromete novo sistema de rádio monitoramento digital da Paraíba

A falta de energia, registrada nessa quarta-feira (21), em várias cidades da Paraíba e também do Nordeste, Norte e algumas cidades do Sudeste não foi capaz de afetar o funcionamento do novo sistema de radio monitoramento digital adquirido pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria da Segurança e da Defesa Social. De acordo com o gerente de Tecnologia da Informação da pasta, os equipamentos têm uma autonomia que permite o uso dos rádios por várias horas, por conta de no breaks e geradores, que garantem a permanência da comunicação, mesmo em casos de apagão.

Ainda segundo Fabiano Vieira, a tecnologia conta com 40 torres espalhadas em território paraibano, interligando as Polícias Civil, Militar, Corpo de Bombeiros, Departamento de Trânsito e Sistema Prisional, com cobertura de mais de 90% do território. No início de março, a instalação do sistema chegou a sua terceira etapa que abrange os municípios do Sertão da Paraíba.

Para o secretário de Estado da Segurança e da Defesa Social, Cláudio Lima, a aquisição do sistema de rádio monitoramento digital é um marco no que se refere aos investimentos em Segurança Pública na Paraíba. “Estamos saindo de uma realidade analógica para a digital. “Com o uso de uma tecnologia de ponta e robusta – TETRA – utilizada em países da Europa, como Alemanha, França e Espanha, fazendo com que as Polícias possam se comunicar de maneira mais ágil e segura, o que reflete em uma melhor prestação de serviço à população. Tivemos um apagão que parou tudo no Nordeste, e em outras regiões, e até operadoras de telefonia, menos a rádio comunicação das polícias da Paraíba”, destaca.

Na primeira fase de implantação foram cobertos pelo novo sistema de rádio comunicação digital 26 municípios, beneficiando uma população superior a 1,2 milhão. Na segunda fase, foram mais nove antenas instaladas e 30 municípios abrangidos pela tecnologia na região de Campina Grande, o que permitiu o desenvolvimento de diversas aplicações, como a utilização de GPS, dispondo da localização exata dos terminais, tanto no caso de viaturas, como de rádios de mão. Na terceira fase, na região de Patos serão cobertas cerca de 20 cidades da região, com aproximadamente 200 mil habitantes, com 200 rádios para Polícia Militar, 30 para os bombeiros militares e 50 para a Polícia Civil. Na região de Sumé, serão cobertas cerca de 10 cidades, abrangendo 80 mil habitantes, com entrega de 70 rádios para policiais militares e 30 para policiais civis.

Ao término das instalações, 40 antenas, chamadas sítios de repetição, serão instaladas em território paraibano, recebendo e distribuindo informações para 5.600 rádios, entre portáteis, móveis e fixos. As mensagens de áudio e texto serão protegidas por criptografia, impedindo que terceiros tenham acesso à comunicação efetuada entre as polícias.

Da Redação com SECOM PB

amei