Alagoa Nova/PB: acusados de assassinar vigilante irão a júri nesta quarta-feira

Dois acusados de matar um vigia vão a julgamento novamente nesta quarta-feira (08/08).

O crime ocorreu em na madrugada do dia 13 de abril de 2013 num matadouro em Alagoa Nova, no Brejo.

Na época o caso teve bastante repercussão tendo em vista os requintes de crueldade de como Bruno Pereira da Rocha, de 26 anos, foi assassinado.

Dois dias depois a polícia prendeu dois homens e apreenderam três menores acusados do homicídio.

Os adultos presos foram João Batista Silvério de 19 anos, morador do Bairro Mutirão, em Alagoa Nova e o pedreiro “Alecssandro” Mariano da Silva, de 27, morador do Alto do Céu, também em Alagoa Nova.

Eles, num primeiro julgamento em 2014, foram condenados a 24 e 23 anos respectivamente, porém o advogado Alípio Neto conseguiu anular o julgamento.

O advogado manejou um recurso criminal para o TJPB e conseguiu a anulação do júri.

O júri desta quarta começa às 09h00 no Fórum Pedro Gondim, em Alagoa Nova, e será presidido pelo juiz Eronildo José Pereira.

No ministério público vai atuar o promotor Sócrates Agra.

Um defensor público atuará na defesa de João Batista.

Os advogados Alípio Neto e Fernandes Braga farão a defesa de Alecsandro.

ENTENDA O CASO/O CRIME

Bruno foi morto por que presenciou ou teria tentado evitar que os acusados soltassem e roubassem alguns cavalos que estavam no matadouro.

Os assassinos foram cruéis: a vítima foi amordaçada, amarrada e morta com vários golpes na cabeça.

De acordo com o sargento Cleodon Cabral “foi um crime cruel e covarde”.

Os acusados chegaram ao local, arrombaram a porta do alojamento e serraram os cadeados das baias onde estavam os animais.

O vigia não teve chance de defesa.

O corpo de foi encontrado pelos colegas de trabalho da vítima.

(com informações de Renato Diniz)

Selecionamos para você