Obsessão pelo corpo perfeito pode prejudicar formação muscular de adolescentes

Foto: Reprodução

A obsessão pelo corpo perfeito pode causar problemas físicos e musculares não somente nos adultos, mas também nos adolescentes. O alerta é da fisioterapeuta Welika Silva, da Hapvida em Campina Grande (PB), ressaltando que os perigos da prática excessiva de musculação na adolescência estão sujeitos à carga usada nos exercícios, principalmente nas academias.
A fisioterapeuta lembra ainda que “muitos adolescentes começam uma série de exercícios físicos para atingir o emagrecimento e ganho de massa muscular, com base em informações obtidas na internet, aplicativos e similares”.

Nos estabelecimentos para malhação e demais locais, poses são feitas por adultos e menores para mostrar o corpo perfeito nas selfies e a garantir nas redes sociais muitas curtidas. Conforme o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), a adolescência compreende a faixa etária entre 12 e 18 anos de idade. 
Segundo Welika, os maiores problemas ocorrem entre 12 e 14 anos, faixa de idade na qual não existem resultados de hipertrofia, logo a musculação com essa finalidade não é indicada, pois o corpo está em formação. 
Para Welika Silva, é recomendável é a prática de exercícios físicos, a partir dos 15 anos, mas com acompanhamento profissional, respeitando a carga que lhe foi indicada na série de musculação até a fase adulta. 
Em relação aos adultos, a busca desenfreada por um corpo esbelto pode provocar lesões com atividades excessivas nas academias, por exemplo. A fisioterapeuta destaca que  que a tendência de fraturar o osso como o excesso de movimentos repetitivos é grande. Além disso, pode provocar dores musculares, tendinites e bursites.
No seu entendimento, o conveniente é alternar um exercício a outro em um período de no mínimo 24 horas. Welika destaca que, no período entre o repouso e o alongamento, os músculos se fortalecem.

da Assessoria