MP denuncia Romero Rodrigues na Operação Calvário; ex-prefeito nega recebimento de R$ 150 mil para campanha de 2012

0
95

O Ministério Público protocolou nesta quarta-feira (24) mais uma denúncia no âmbito da Operação Calvário, que apura desvios de recursos públicos da Saúde do Governo do Estado durante a gestão do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB). Dessa vez os denunciados são o ex-prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSD), o advogado Jovino Machado, Saulo Ferreira Fernandes e o empresário da Cruz Vermelha do Brasil e delator Daniel Gomes.

A denúncia relata um suposto pagamento de R$ 150 mil, feito por Daniel Gomes em 2012, que teria como destino a campanha para eleição de Romero à Prefeitura de Campina Grande, que naquele momento, filiado ao PSDB, era aliado de Coutinho.

De acordo com a denúncia, os recursos foram pagos com a garantia de que as organizações sociais comandadas por Daniel Gomes assumiriam a gestão na Maternidade Elpídio de Almeida, caso Romero fosse eleito prefeito. O dinheiro, conforme os investigadores, teria sido pago em duas parcelas de R$ 75 mil.

Os fatos foram relatados na colaboração premiada de Daniel Gomes.

Imagem: Reprodução

“O objeto desta denúncia, em essência, revelou os bastidores da criminosa engenharia criada para a inserção da Cruz Vermelha do Brasil – Filial do Rio Grande do Sul (CVB/RS) para gerir as estruturas de saúde de Campina Grande/PB, a começar pelo ISEA (Instituto de Saúde Elpídio de Almeida) e Hospital Pedro I”, relata a denúncia.

Ao Blog Pleno Poder do jornalista João Paulo Medeiros, Romero disse que vai apresentar todos os esclarecimentos à Justiça e provará ser inocente. Ele afirmou que jamais solicitou os recursos narrados na denúncia. E lembrou, também, que a Prefeitura de Campina Grande, sob sua gestão, nunca teve contratos com organizações sociais investigadas na Operação Calvário.

Da Redação Blog do Pleno Poder