JANOT: ‘Se não há provas contra Temer, eu me mudo para Marte’

Um ano após ter assinado um dos mais impactantes acordos da Lava-Jato, o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot reforça a importância da delação premiada dos irmãos Joesley e Wesley Batista, que resultou em duas denúncias contra o presidente da República. A permanência de Michel Temer no cargo espanta o magistrado, que foi entrevistado pelo GLOBO na última terça-feira. Para ele, não há nenhum outro país do mundo em que um chefe da nação é réu em dois processos criminais e alvo central de outros dois:

Resultado de imagem para Se não há provas contra Temer, eu me mudo para Marte’, sobre delação da JBS

Foi um acordo importantíssimo para desvendarmos toda organização criminosa que se apropriou do poder público brasileiro. As informações, provas e a proatividade dos colaboradores foram medidas nas denúncias feitas contra o presidente em exercício Michel Temer e nas investigações que seguiram.

Resultado de imagem para janot temer

Ele responde a duas denúncias e duas investigações criminais, que decorrem dessa colaboração. Acredito que essa foi uma das colaborações premiadas que mais auxiliaram o combate à corrupção no Brasil. Atingiu um presidente da República em exercício que, depois de três anos e meio da Lava-jato, continuava praticando atos que queria. Achava que era imune a qualquer investigação do Ministério Público. E nenhum cidadão é.

Fonte: O Globo. Leia Mais Aqui.

VEJA TAMBÉM:

Se Temer e o Congresso insistirem em abafar a Lava Jato, haverá intervenção militar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *