BOMBA: eu Levei uma mala de dinheiro para LULA, a pedido de um parceiro na Camargo Corrêa, e poderia ter sido morto em acidente aéreo

crimee

Um ex-membro de Fernando de Arruda Botelho, acionista do grupo Camargo Corrêa, que foi morto em um acidente de avião há cinco anos, Davincci Lawrence diz que ele foi assassinado, e o crime escondido no esquema de corrupção na empresa. O presidente, o ex-petista, de acordo com ele, ele recebeu propina para facilitar o contrato com a Petrobras

imagem25-10-2018-15-10-59

Os caracteres que formam a capa desta edição da ISTOÉ chamado Davincci Lourenço de Almeida. Entre 2011 e 2012, ele foi privado da intimidade do cume de um dos maiores empreiteiros do País, o grupo Camargo Corrêa. Participar de reuniões com a presença do então presidente da empresa de construção civil, Dalton Avancini, que segue de perto a vida cotidiana da família no destino da empresa, em Itirapina (SP), e veio para estabelecer a sua casa na fazenda do contratante e situados no interior do estado de são paulo.

imagem25-10-2018-15-10-00

Estreitíssima contra a ver com o Davincci, química sem ensino superior, são identificados pelos diretores da Camargo para passeios especiais. Em entrevista à ISTOÉ, que foi dada durante a última semana, Davincci Lourenço de Almeida, narrou a mais delicada das tarefas de que a tarefa de assumir, em nome dos acionistas da Camargo Corrêa: o transporte de uma mala de dinheiro destina-se para o ex-presidente Lula. “Eu levei uma mala de dólares para Lula”, disse a ISTOÉ. É a primeira vez que a testemunha está relacionado com o contratante reconhece que tem servido como uma ponte para pagar propinas ao ex-presidente.

Não sei precisar os valores, mas não sabia que o dinheiro realizada por ele no início de fevereiro de 2012, no hangar na Camargo Corrêa, em São Carlos (SP) até a cidade de Morro Vermelho Táxi Aéreo em são paulo, também de propriedade do contratante. De acordo com a conta, o email é entregue por Davincci nas mãos de um funcionário da Red Hill, William Steinmeyer, “Wilinha”, e foi fazer a transferência para o petista. “Foi o dinheiro em uma bolsa, na mala de viagem. Eu deixei a mala com o dinheiro, mas a mala comigo até hoje”, disse ele. Dias mais tarde, ele é adicionado à ISTOÉ, Lula vai para o site de pesquisa para a ordem, acompanhada por segurança. “Lula ajudá-la a fechar um contrato com a Petrobras. Negócio de R$ 100 milhões”, disse ele Davincci de Almeida. A atmosfera agradável do desembarque de Lula em Morro Vermelho encorajar a equipe e até mesmo a administração da companhia, a posarem para selfies com o ex-presidente. De acordo com Davincci, depois que o petista vem com o pacote de moeda, os retratos pendurados nas paredes do hangar. As imagens, no entanto, são tomadas pela autoridade local preventivamente em setembro de 2015, quando a Operação Lava Jato já fechou o cerco do contratante. Em entrevista à ISTOÉ, Davincci diz que o transporte de dólares o ex-presidente não foi o único filho. Ele também foi escalado para fornecer sacos cheios de dinheiro para os funcionários da Petrobras. Os pagamentos, segundo ele, é o selo de aprovação da Rosana Camargo Arruda Botelho, herdeira do grupo Camargo Corrêa. “O Fernando me disse que o “baixinho”, como ele chamava Rosana Camargo, sabem-na todos”, disse Davincci.

A imersão de Davincci no submundo dos negócios, não é raro, não há nada que os republicanos foram tocadas pela Camargo Corrêa na obra de Fernando de Arruda Botelho, acionista do contratante, morto há cinco anos em um acidente de avião. Em 2011, Davincci rosto de um parceiro e uma espécie de faz-tudo do Botelho. A melodia significa que as duas tocar de ouvido. Foi Botelho e disse que a mala estava no porão da teriam como destino final do ex-presidente Lula: “A ordem de Fernando Botelho foi apresentada ao presidente. Ele chamou o presidente, embora ele é o ex”. Em um tipo de empatia, à primeira vista, os dois se conectar ao Arruda Botelho caiu no amor com uma invenção da Davincci Lourenço de Almeida: um produto revolucionário para a limpeza de aeronaves, o UV30. O elemento que proporciona uma grande economia para a indústria aérea. “Com apenas cinco litros é possível limpá-lo tão boa como a Boeing, a ponto de que o avião parece novo. Convencionalmente, para fazer o mesmo serviço, você precisa mais do que 30 mil litros de água”, disse ele Davincci.

PARCERIA Botelho (esq) e Davincci (dir) eram sócios na fabricação de produtos para limpeza de aviõesPARCERIA Botelho (à esquerda) e Davincci (terra) são parceiros na fabricação de produtos para limpeza de aeronaves

Interessado em um produto químico inventado por Davincci, UV30, Botelho aberto com que, em uma empresa de capital aberto, o Demoiselle, de Indústria e Comércio de Produtos Sustentáveis Ltda. Na sociedade, as cotas serão distribuídas da seguinte maneira: 25% para Fernando de Arruda Botelho, de 25% para Rosana Camargo Arruda Botelho, herdeira do grupo Camargo Corrêa, e de 25% para Davincci de Almeida e de 25% para Alberto Brunetti, um parceiro da química desde os primeiros dias do UV30. Pelo combinado na ponta do bigode, o casal Fernando e Sarah está acontecendo com o dinheiro. Davincci e Alberto, com o produto. Em janeiro de 2012, a Camargo Corrêa proposta para fechar a empresa. Ao mesmo tempo, a empresa de construção civil, de acordo com a testemunha, ele fez um depósito de US$ 200 milhões nos Estados Unidos, o Bank of America, em nome do Demoiselle. O dinheiro tinha o objectivo de promover o produto no exterior e fechar parcerias com a Vale Fertilizantes, a Alcoa, a CCR, e outras empresas interessadas em expandir os negócios. A operação é curioso Davincci. Mas o pior ainda estava para vir.

 

Acidente ou assassinato?
O recém-nascido também em evidência para o promotor José Carlos de Chapa, o Ministério Público de São Paulo, que ouviu Davincci em quatro oportunidades. Placa envia as instruções para a força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba. À ISTOÉ, o promotor disse que acredita que a Camargo Correa pode ter usado Davincci como “laranja”. Outro trecho da denúncia bombástica de Davincci para o mundo das finanças globais, reiterou o Ministério Público, que remonta ao acidente fatal sofrido pelo empresário Fernando Botelho em 13 de abril de 2012, durante um voo de demonstração na placa T-28 a ii Guerra Mundial, os empresários africanos, com os quais o acionista controlador, Camargo havia discutido o UV30 em uma viagem para a África do dia anterior. Segundo Davincci, Botelho foi assassinado. O avião, segundo ele, foi danificada em um terreno organizado pelo brigadeiro Edgar de Oliveira Júnior, assessor de Camargo e um dos gerentes de propriedade do contratante. De acordo com o depoimento, está convencido de que o brigadeiro tinha dado a ele para aplicar, depois de promover a auditoria interna, Botelho de demissão na manhã do acidente, durante o tempo da reunião, cheio de gritos, socos na mesa e bate-bocas, feroz, testemunhado pelos diretores da Camargo. “O Fernando foi assassinada e o crime inventado pelo brigadeiro Edgar. O avião foi danificado”, diz o farmacêutico.

Uma série de estranhos eventos que cercaram a desastre chama a atenção do Ministério Público. Por exemplo: o caminhão de bombeiros comprado por Botelho exatamente para atender a possíveis emergências no aeroporto na sua propriedade está trancado no hangar. “Eu tinha de jogar o meu carro contra a porta para estourar os cadeados. Eu peguei o caminhão e vá para o local. Quando você chegar lá, as chamas foram tão alto que não podemos chegar muito perto”, disse Davincci. Mas, em seguida, parceiro de Arruda Botelho ligado o suficiente para ser capaz de salvar o GPS, que haviam sido retirados da parte externa da aeronave. No entanto, o dispositivo é essencial para fornecer a investigação com informação sobre a viagem, e não poderia ser conhecido pelas autoridades, de acordo com Davincci, a pedido do brigadeiro-general Edgar. “Ele pegou o instrumento de minhas mãos, dizendo que isso poderia ser ruim para a família, se nós enviado para a pesquisa, e ainda me obrigou a mentir no primeiro deposição para a delegacia de polícia”. Com a morte de Fernando de Arruda Botelho, o brigadeiro e acabou não tendo encerramento o contratante será oficial. Já o ex-parceiro, porque, então, a enfrentar uma provação. “Eu sofri 11 ameaças de morte”, disse ele.

Motivados pelos depoimentos de Davincci, no caso em que tenha sido apresentado pelo promotor, Fernanda Querida Segato, em março de 2013, foi reaberto em setembro do ano passado por ordem do campeão Fábia Caroline do Nascimento. Novas investigações são de responsabilidade do representante de Jose Francisco Minelli. “Eu estou na fase das provas de testemunhas”, disse à ISTOÉ o representante. Dois dos quatro irmãos de Fernando de Arruda Botelho, Eduardo e José Augusto, suspeita-se que ele pode ter sido mais do que um acidente. “Eu estou indo para ajudar você a descobrir a verdade sobre o que aconteceu. Mas bem conhecidos associados com o Exército de tentar para o meu irmão (José Augusto) para dizer que eles estão convencidos de que ele não é um acidente”, disse Eduardo Botelho na mensagem, a ISTOÉ ter acesso, ser enviadas em janeiro para o Dav

Irmão Botelho, atestam relatórios

Por telefone de sua fazenda, em Itirapina, Eduardo Botelho revelado na história ISTOÉ comuna de provas chama a atenção para o ex-parceiro do irmão morto em 2012. “O nível de nojeira da equipe que supervisiona os assuntos de meu irmão, foi muito. Tudo o que aconteceu no dia do acidente, o céu era estranhíssimo. Meu irmão foi nos foi roubado. Como ele não tinha controle do que aconteceu com o avião, ele pode ter sido danificado sim. Foi fácil para sabotar o avião. Foi a Segunda Guerra mundial. Você pode ter que virar o avião no dia do colapso”, disse Eduardo Botelho. “Se tivesse morrido naquele dia, e gostaria de fazer uma grande limpeza nas fazendas de Camargo”, disse o irmão, e quebrou o relacionamento com Rosana Camargo, viúva, há algum tempo. “A multidão rodeada de meu irmão. Como pode um gerente da fazenda, que ganha r$ 4 mil para comprar quatro casas em um condomínio fechado na cidade de São Carlos?”, ele perguntou Eduardo. Para Davincci, confirmou que ele e seu irmão foram realmente muito próximos e que, desde a morte de Fernando de Arruda Botelho, o ex-parceiros é dedicado a tentar levar a empresa a partir dele. “Ele (Davinci) ao vivo em minha casa aqui na fazenda. Meu irmão disse que iria fazer chover dinheiro com o produto. Depois que meu irmão morreu, eles tentaram violação de patente, tem criado outras empresas que são semelhantes para o Demoiselle. Tudo para tirá-lo da imagem”, afirmou.73

Uma das empresas e o irmão do ex-acionista do grupo Camargo se referir a ele está localizado em São Paulo. Na direção da vida de Rosana, bilhões de dólares, herdeira da segunda maior empresa de construção civil no País, que, através de seus advogados, disse que o destino de “crimes de calúnia, difamação e calúnia por parte de Davincci”. “É uma resposta a diferentes ações legais, tem sido já requerido pela Justiça para impedir a propagação de ameaças”, disse o advogado Celso brasil rótulo. O Muniz e Associados, que também representa a Camargo Corrêa, diz que Edgard de Oliveira Junior, por causa de desentendimentos entre os parceiros, deixou-se espontaneamente na sociedade, que foram com Davincci. “A empresa foi dissolvida, liquidada e a patente será disponibilizado para você,” ele disse. Tentando confirmar a negociação e discutido por Lula, de acordo com a testemunha de Davincci, no valor de R$ 100 milhões, a Petrobras não respondeu até o fechamento desta edição. William Steinmeyer, de Red Hill, confirma-se que você sabe Davincci (“homem excêntrico”), mas jura que tem recebido uma ordem dele.

acrobacias interrompidas Fernando Botelho pilotava seu aviâo da Segunda Guerra quando bateu num barranco e explodiuACROBACIAS de CORTAR toda Fernando Botelho piloto do avião a partir da Segunda Guerra mundial, quando ele atinge o barranco e explodir

Desde o último mês, o contratante está se preparando para aumentar a sua delação premiada ao Ministério Público Federal. O novo – e graves – revelação, trazido à luz por ISTOÉ, deve também ser incluído na lista de perguntas para a diretoria da contratante pelos procuradores do Fluxo de Lava.

 

FONTE: ISTOÉ