Medicamento da Regeneron ajuda a evitar Covid em 81% dos casos

0
174

A empresa norte-americana Regeneron Pharmaceuticals anunciou na segunda-feira, 12, os resultados da fase 3 de um coquetel para reduzir as possibilidade de contrair a Covid-19, elaborado em parceria com a suíça Roche. O estudo utiliza a combinação dos medicamentos (chamados anticorpos monoclonais) Casirivimab e Imdevimab para impedir casos sintomáticos entre contactantes que vivem na mesma casa que pessoas diagnosticadas com o novo coronavírus.

De acordo com o laboratório, uma dose da combinação (chamada Regen-Cov) administrada por injeção subcutânea pode diminuir em 81% o risco da pessoa desenvolver um caso sintomático da Covid-19. 

O estudo foi realizado com uma amostra de 1.505 pessoas não infectadas pelo novo coronavírus, que não possuíam anticorpos para a doença e viviam na mesma residência que alguém que teve Covid-19 nos quatro dias anteriores. Realizado em conjunto com o Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas (NIAID na sigla em inglês), foi duplo-cego, com administração de placebo para parte dos envolvidos.

“Esses dados sugerem que o Regen-Cov pode complementar estratégias de vacinação, particularmente para aqueles com alto risco de infecção. É importante ressaltar que, até o momento, Regen-Cov demonstrou in vitro reter sua potência contra variantes emergentes de preocupação (as “variants of concern”, como as identificadas inicialmente em Manaus e no Reino Unido, por exemplo)”, explica o médico Myron Cohen, que lidera o estudo e é diretor do Instituto de Saúde Global e Doenças Infecciosas da Universidade da Carolina da Norte, em comunicado divulgado pela Regeneron.

“Se autorizada, a administração subcutânea conveniente de Regen-Cov pode ajudar a controlar surtos em ambientes de alto risco, nos quais os indivíduos ainda não foram vacinados, incluindo famílias e ambientes de vida em grupo”, acrescentou.

Leia também: Senado aprova PEC que proíbe arrecadação de impostos sobre vacinas