Mario Frias retruca Sergio Moro após ex-ministro mandar indireta para Bolsonaro: “Tem que ser muito desinformado ou mal intencionado”

0
189
Mario Frias retruca Sergio Moro após ex ministro mandar indireta para Bolsonaro: “Tem que ser muito desinformado ou mal intencionado”
Mario Frias retruca Sergio Moro após ex ministro mandar indireta para Bolsonaro: “Tem que ser muito desinformado ou mal intencionado”

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, no último sábado (08) foi até as suas redes sociais para comentar a respeito do alarmante número de mortos vítimas do novo vírus. Moro destacou o triste fato do país ter alcançado 100 mil óbitos por decorrência da doença, e aproveitou para cutucar o presidente da República, Jair Bolsonaro.

“Não podemos nos conformar, nem apenas dizer #CemMilEdaí. São mais de 100 mil mortos; 100 mil famílias que perderam entes para a Covid. Que a ciência nos aponte caminhos e que a fé nos dê esperança.” escreveu o ex-magistrado

Após a publicação do ex-juiz, o ator Mario Frias, que atualmente foi convidado por Bolsonaro para suceder Regina Duarte a frente da Secretária Especial de Cultura, respondeu a mensagem escrita por Moro. Para o artista, não se pode responsabilizar o atual governo pelo triste cenário de calamidade.

“Pro pessoal falador e sem memória. Em 04 de fevereiro desse ano o Presidente Jair Bolsonaro decretou estado de emergência para conter o corona vírus. Tem que ser muito desinformado ou mal intencionado para querer responsabilizar o governo federal.” escreveu

Pro pessoal falador e sem memória. Em 04 de fevereiro desse ano o Presidente @jairbolsonaro decretou estado de emergência para conter o corona vírus. Tem que ser muito desinformado ou mal intencionado para querer responsabilizar o governo federal. pic.twitter.com/GrBGnGa4BK

— MarioFrias (@mfriasoficial) August 9, 2020

Mario Frias vem se mostrado nas redes sociais um militante ferrenho em defesa do atual Chefe do Poder Executivo. Antes mesmo dele ser convidado para a função na Secretaria, ele já manifestava publicamente como um simpático ao governo federal atual.