Marcelo D2 ignora “proibição” do TSE e se manifesta contra Bolsonaro no Lollapalooza

Foto: Reprodução

O cantor Marcelo D2 xingou o presidente Jair Bolsonaro (PL) e instigou um coro pró-Lula durante apresentação no Lollapalooza. Atitude veio após rapper evitar nome do presidente no início do show.

Assim que entrou no palco, D2 deu a entender que não citaria Bolsonaro em sua apresentação. “Ele não. Ele não vai comandar a narrativa hoje”, afirmou o rapper. “Essa noite é sobre amor, sobre o Taylor [Hawkins], sobre Sabottage. Hoje, a gente faz a narrativa”.

Após algumas músicas, o cantor mudou o tom, xingou Bolsonaro, incentivou que a plateia chamasse o nome de Luiz Inácio “Lula” da Silva (PT). D2 disse que exaltaria o festival, Lolla, e iniciou um verso popular das nas campanhas do petista – e foi respondido pelo público. Por fim, o artista disse que o público precisa “mudar isso” nas urnas.

A decisão liminar divulgada no último sábado, o ministro do Tribunal Superior Eleitoral Raul Araújo avaliou que as manifestações de Pablo Vittar e Marina em seus shows no festival na última sexta-feira se enquadrariam como propaganda eleitoral.

Dessa forma, o magistrado vetou novos atos políticos após ação impetrada pelo PL, partido do presidente Jair Bolsonaro. A decisão determinava multa de R$ 50 mil ao festival caso outros artistas se manifestassem politicamente.

de UOL