Malafaia pede quebra de sigilo de pastores ligados ao MEC

O pastor Silas Malafaia pediu nesta sexta-feira (25) que o Ministério Público e a Polícia Federal “investiguem a fundo” as suspeitas de que dois pastores evangélicos teriam atuado fazendo lobby no Ministério da Educação. Ele sugeriu a quebra dos sigilos de Gilmar Santos e Arilton Moura. 

“Nós pastores evangélicos queremos pedir ao MPF e à PF que investiguem a fundo, quebrem sigilos bancário, fiscal e telefônicos desses dois pastores. Vão fazer um favor aos pastores evangélicos no país. Nós somos mais de 200 mil pastores nesse país, e não vamos tomar lama por causa de dois camaradas”, afirmou em vídeo divulgado nas redes sociais. 

Silas Malafaia também pediu um posicionamento mais veemente do ministro da Educação, Milton Ribeiro, sobre o episódio. Considerou que as explicações apresentadas até o momento não foram suficientes. 

“O ministro da Educação, por ele ser pastor e ter dois pastores envolvidos, tinha que ser mais claro e veemente. Não basta ser honesto, tem que provar que é honesto. Não estou fazendo acusações ao ministro. Por enquanto, ele tem comigo a presunção da inocência. Por enquanto. Mas achei fraca a argumentação”, pontuou.  

Malafaia também saiu em defesa do presidente Jair Bolsonaro (PL) e criticou a imprensa. “Agora, jogar lama no presidente por causa de dois caras. Prova que o presidente mandou o ministro dar favorecimento a alguém. Prova que o presidente levou alguma coisa isso é conversa fiada. Esse jogo da mídia que odeia pastores e odeia o presidente em sua grande maioria.”

Com SBT News