Leonardo Gadelha defende o semiárido nordestino como fronteira agrícola: ”Podemos tirar quatro vezes mais água do Rio São Francisco”

O pré-candidato a deputado federal pelo PSC, Leonardo Gadelha, falou sobre a transposição do Rio São Francisco. Ele defende que o semiárido nordestino pode ser uma promissora fronteira agrícola, com produção em larga escala e forte geração de renda e empregos. ”Podemos tirar quatro vezes mais água do que estamos tirando do Rio São Francisco. Quando fica claro que não há qualquer risco ambiental, qualquer risco para a geração de energia na cascata da Chesf, vamos poder, paulatinamente, aumentar a quantidade de água que vamos retirando”, disse Leonardo.

O pré-candidato disse que há projetos para fazer a interligação do Rio São Francisco com o sistema Tocantins Araguaia e que isso ajudaria a extrair mais água.

”Vamos poder fazer a capilarização, utilizar isso no ramal Piancó, para a Lagoa do Arroz, para uma eventual construção da barragem Capivara. Há uma miríade de possibilidades com essas águas. Temos como grande fronteira agrícola para o Brasil nos próximos anos o semiárido nordestino. O que nos faltava era água e agora temos água”, acrescentou Gadelha.

Além disso, Leonardo reforçou que o fator primordial para que isso aconteça é que haja governantes que entendam a questão e que façam esse planejamento sair do papel.