Laudo do IPC revela que Patrícia Roberta foi morta por asfixia

0
44
Foto: Reprodução

A causa da morte da jovem Patrícia Roberta foi descoberta após exames no Instituto de Polícia Científica (IPC), da capital paraibana. O laudo aponta que a vítima de 22 anos foi esganada e assassinada por asfaxia. O corpo da jovem foi encontrado pela polícia no dia 27 de abril, em uma área de vegetação da capital paraibana.

“A vítima sofreu processo de asfixia por constrição cervical e esganadura”, diz o documento. O laudo foi entregue na última terça-feira (1º) à Delegacia de Homicídios, que conclui as investigações do caso. Em entrevista à equipe de reportagem da Rede Tambaú de Comunicação (RTC), Roberto Capistrano informou que do “ponto de vista, como assistente de acusação, o Jonatha tem envolvimento direto”.

O principal suspeito da morte da jovem é Jonathan Henrique G. dos Santos. Ele está preso desde o dia 27 de abril. Ivyna Oliveira, ex-namorada de Jonathan, foi indiciada por ocultação de cadáver.

Conheça o caso – Patrícia Roberta morava em Caruaru e era amiga de Jonathan há mais de dez anos, desde a época que haviam estudados juntos. Ela veio para João Pessoa no dia 23 de abril e foi hospedada na casa do suspeito do crime. O corpo da jovem foi encontrado dias após os pais perderem o contato com a filha. Mais detalhes do caso não são de conhecimento público, pois o caso está em segredo de Justiça.

Com Primeiras Notícias